20 de julho de 2014

Mini Imagine Hot com Harry Styles - Compromisso sério.


-

 Havia acabado de tomar meu banho, e estava no quarto escolhendo uma roupa para vestir, o dia em que o amor da minha vida vai chegar da turnê. Estava preparando tudo para a sua chegada, e como eu o conheço bem, hoje vai ter sexo. Bom, eu vou me apresentar. Meu nome é Natália Barbosa tenho 18 anos e moro com o meu namorado Harry Styles da boyband mais famosa do mundo, One Direction. O nosso namoro já dura à 2 anos e alguns meses e nós brigamos só umas duas ou três vezes por causa das directioners abusadas, mas isso não vem ao caso, o que me importa é que eu estou feliz porque ele vai voltar para a casa. Ele foi fazer uma viagem  em turnê e eu aguardava ele em casa, com muita saudades daquelas covinhas lindas, da malicia que transbordava em seus olhos verdes, e o jeitinho que ele morde os lábios, ai meu Deus... Só de pensar já fico toda arrepiada. Escolhi a roupa, e a vesti.

-


-

 Arrumei o meu cabelo o deixando solto, passei meu perfume que eu sabia que ele gostava e fui na cozinha ver a pizza que eu mesma arrisquei fazer, já estava quase pronta. Arrumei a mesa colocando tudo em seu devido lugar e assim que terminei desliguei o forno e fui para a sala assistir televisão, enrolada em uma coberta enquanto o bonitão não chegava em casa. A cada minuto que passava meu coração ia a mil, até que finalmente a campainha tocou, e eu fui correndo abrir a porta. Assim que ele me viu, me pegou no colo.

-


-

 Coloquei as minhas pernas em sua cintura e o beijei. Um beijo cheio de sentimentos, sua língua pediu passagem para encontrar a minha. Senti ele andando, e só pude ouvir o barulho de porta se fechando. Eu alisava seu rosto enquanto seus braços fortes eram firmes em mim. Paramos o beijo por falta de ar, e ficamos nos olhando. Ele deu um sorriso, aquele sorriso que eu amo, o meu sorriso preferido.

Harry: Eu senti sua falta minha pequena. -ele insistia em me chamar de baixinha, mas eu nem ligo mais.
Eu: Eu também senti a sua meu amor. -ele me deu um selinho e me colocou no chão- Como foi os shows?
Harry: Cansativo e bom, eu me diverti e tenho uma surpresa pra você. -meu sorriso foi de orelha a orelha-
Eu: Que surpresa?

 Eu sou louca por surpresas, adoro quando alguém me faz surpresas, só não gosto de esperar que alguém me fale que tem surpresa e que não vai contar agora a surpresa, e ele sabia disso melhor do que ninguém.

Harry: Depois eu falo.
Eu: Ah Harry! Eu odeio quando você faz isso comigo!
Harry: Desculpa meu amor, mas a fome fala mais alto. -ele mordeu os lábios com malicia-
Eu: Eu fiz pizza, vamos comer.
Harry: Não quero comer pizza, quero outra coisa. -eu entendia muito bem o que ele queria, mas me fiz de boba-
Eu: No momento só temos pizza, então vai ser pizza mesmo. -ele fez um beicinho que eu selei e deu um sorriso-

 Depois que ele foi para o quarto tomar um banho e trocar a roupa, eu fiquei na cozinha, esperando ele. Depois de um bom tempo ele apareceu na cozinha, me deu um selinho e se sentou na cadeira me analisando de cima a baixo, confesso que fiquei envergonhada, mas fingi que não vi nada. Tirei a pizza do forno, e me sentei ao seu lado. Ele tirou um pedaço para ele e eu para mim. Comemos conversando sobre a viagem e o show que eles fizeram.

Harry: Ah, os meninos vão vir aqui amanhã.
Eu: Pra que?
Harry: Vamos fazer uma festinha de comemoração, as meninas também vão vir.
Eu: Ah Harry. -minha voz era manhosa- Eu não quero bagunça aqui em casa, a ultima vez que teve festa aqui eu que arrumei sozinha.
Harry: Pode deixar que eu arrumo pra você. -ele se inclinou me dando um beijo-

 Terminamos de comer, e ele me ajudou a lavar a louça. Quando terminamos ele pegou em minha cintura, me puxando para seu corpo, com um sorriso malicioso.

Harry: Agora eu quero a sobremesa. -ele sussurrou em meu ouvido, me deixando arrepiada, e em resposta eu dei um gemido baixo-

 Ele me pegou no colo, e eu travei minhas pernas em sua cintura. Nos beijamos descontroladamente até o quarto. Eu o ajudei a tirar sua camisa e voltamos o beijo. A porta foi fechada com o seu pé e ele me caminhou para a cama. Eu o empurrei na cama dando o meu sorriso malicioso e fui até ele beijando sua barriga até chegar a calça dele que desabotoei e abaixei jogando em qualquer canto do quarto. Percebi um volume em sua cueca e dei um sorriso para provocá-lo. Dei uma mordida no volume tampado pela cueca e ouvi o seu gemido rouco.

Harry: Não me tortura Natália, você sabe que eu sou pior torturador. -sua voz era baixa e rouca-
Eu: Relaxa Styles.

 Abaixei sua cueca revelando seu membro elevado, e o olhei dando um sorriso malicioso. Dei um beijo na ponta antes de começar meu trabalho com a boca, seu gemido rouco me dava mais incentivo para continuar. Quando percebi que ele estava chegando ao ápice eu parei e ele reclamou.

Harry: Eu vou explodir, eu preciso de você.
Eu: Mas já Harry? -dei um sorriso malicioso-
Harry: Você quer brincar? Então vamos brincar. -ele deu um sorriso vingativo e malicioso ao mesmo tempo-

 Nem percebi muito como aconteceu, mas eu já estava deitada na cama, e ele tirava a minha blusa jogando em qualquer canto. Suas mãos desceram lentamente até a minha calcinha colocando sua mão dentro e me penetrando um dedo me fazendo gemer descontroladamente. Enquanto ele fazia os movimentos eu me contorcia na cama, agarrando os lenções. Eu estava quase chegando ao meu ápice quando ele diminuiu a velocidade e acabou tirando seu dedo. Suas mãos veio ao meu seio e os aperto, para facilitar eu o tirei, e ele abocanhou um deles, e me penetrou o dedo, mais lento. Ele estava acabando comigo daquele jeito.

Eu: Harry... -saiu como gemido- Eu preciso de você.

 Sem nem pensar duas vezes ele se posicionou abrindo minhas pernas e me penetrando. Começou lento e foi criando velocidade a cada estocada. Entranhei meus dedos em seu cabelo.

-



-

 Só escutava gemidos vindo de mim e dele. Eu pedi por mais e ele me deu, indo ainda mais rápido, arranhei seus braços, gritando de prazer. Eu mexia meus quadris querendo por mais, faltava pouco para chegar ao ápice até ele para e reverter a situação me colocando por cima, e eu entendi o recado. Apoiei as minhas mãos em seu peitoral e comecei a rebolar lentamente e suas mãos foram para a minha cintura. Aumentei a velocidade fazendo ele gemer alto.

Harry: Vai Natália, continua vai...

 Ele apertou minha cintura com força, parecia que ele estava quase chegando ao ápice, então tratei de ir mais rápido. Cheguei ao meu ápice primeiro que Harry e depois de mais algumas estocadas ele chegou ao dele. Me desabei em seu peitoral recuperando o folego. Ficamos assim a um tempo, senti seus braços em volta de mim, e puxando a coberta em cima de nós dois. Eu o olhei e dei um sorriso bobo assim como ele.

Harry: Eu amo você.
Eu: Também te amo Harry.
Harry: Sabe a Surpresa?
Eu: O que tem? -eu havia até esquecido-
Harry: Casa comigo? -eu o encarei, analisando seu rosto com cuidado para ver se era algum tipo de brincadeira sem graça, mais ele estava sério-
Eu: O quê? Você ta falando sério?
Harry: Nunca falei tão sério na minha vida. -eu permaneci em estado de choque, olhando naqueles olhos verdes- Se não quiser tudo... -o interrompi-
Eu: É o que eu mais quero nessa vida, eu te amo muito.

 Nos beijamos, e eu não pude conter as lágrimas que desceram de meus olhos. Paramos o beijo e ele limpo a lagrima dos meus olhos, sorrindo.

Harry: Eu te amo também minha princesa.

 Depois de um tempo trocando caricias, criamos coragem e fomos tomar um banho. Eu vesti uma box dele e a blusa que eu estava antes, ele dormiu apenas de cueca box preta.

                                                                 ***

Alguns anos depois...

 Eu nem acredito que eu estou grávida, quando Harry souber ele vai pirar. Nesse momento eu estava passando a mão em minha barriga sem nenhum volume se quer, e com um sorriso bobo nos lábios. Harry foi para uma reunião com a banda, acho que estão resolvendo sobre a próxima turnê que eles farão daqui a três meses no Brasil. Aproveitei que ele saiu e fiz o teste de gravidez, e deu positivo, não vejo a hora de contar para ele. Deixei o quarto e fiquei vendo televisão na sala, Harry entrou em casa, junto com ele estava Niall e Louis, nossos padrinhos de casamento. Ele veio diretamente até mim e me deu um selinho e os meninos me deram uns abraços.

Eu: Tenho uma coisa pra te contar.
Harry: O que foi meu amor?
Eu: Espera um pouco. -me levantei do sofá, e peguei o teste que estava dentro do quarto, voltei dando pulinhos. Niall saiu dali dizendo que estava com fome e Louis foi invadir a geladeira com ele. Peguei na mão de Harry e coloquei o teste em sua mão, sorrindo-
Harry: O que é isso? -ele me olhou sem entender-
Eu: To gravida Harry, vamos ter um filho.

 Seus olhos brilharam e ele abriu um sorriso perfeito abaixando a cabeça sorridente.

-



-

Harry: Eu vou ter um filho? Um filho seu? Eu vou ser pai? -ele ainda permanecia com o sorriso, e me olhou-
Eu: Sim meu amor.

 As covinhas apareceram, e ele me deu um abraço forte, me dando vários beijos em meu rosto, até me dar um beijo lento nos lábios. Paramos os beijos por falta de ar, e ele passou a mão na minha barriga, e logo abaixou a cabeça para beijá-la.

Harry: O papai te ama meu pequeno.
Louis: Papai?
Niall: Mais um membro pra família? -olhamos para eles, Niall estava com um saco de Ruffles na mão e Louis veio até nos dois ajoelhando em minha frente-
Louis: Eu vou ser titio.
Eu: Vai Louis.

 Ficamos conversando sobre o futuro do bebê e rindo. Harry estava todo bobo, colocando a mão em minha barriga toda hora. Louis teimava que o nome deveria ser Austin e Niall queria que se fosse menina deveria se chamar Dirsy, eu e ele acabamos aceitando e conversamos a tarde toda sobre quem vai ser o melhor tio, e morrendo de rir com o Louis.

--------------------------------------------------------------------------------------------------------- --------------------

 Gente não sabia se era pra posta agora, mais eu postei para atualizar mesmo. Ainda to sem internet, e esse não é o meu notebook, por isso eu não postei o capitulo de Last First Kiss :D

13 de julho de 2014

Capitulo 22 - In Love



-

 Quando acordei, Louis ainda estava dormindo. Fiquei um pouco ali admirando ele, até ele abrir os seus lindos olhos azuis, e me abrir o sorriso mais perfeito do mundo.

Eu: Boa dia.
Louis: Bom dia.
Eu: Vou sentir falta de acorda do seu lado.
Louis: É só eu dormi com você.
Eu: Acho melhor não, você ocupa muito espaço. - brinquei.
Louis: Eu sou gostoso, não gordo.
Eu: Quem te chamo de gordo?
Louis: Depois o palhaço sou eu. - dei um beijo na ponta do nariz dele, sorrindo, e me levantei. - Onde vai?
Eu: Aproveitar o sol e lavar roupa.
Louis: Vou te ajudar. - ele sentou na cama, esfregando o rosto.

 Sai do quarto e fui ao banheiro, fiz a minha higiene, voltei para o quarto, mudei de roupa. Peguei as roupas sujas que estavam no quarto e sai. Levei para a lavanderia e as coloquei dentro da maquina. Minutos depois Louis apareceu, e me deu um beijo de bom dia na bochecha, me abraçando por trás. Quando acabou de lavar, deixei na secadora, porque eu tava com preguiça de colocar no sol.

Louis: Preguiçosa!
Eu: Sou mesmo. - cruzei os braços sorrindo, e ele me abraçou, me dando um selinho molhado.

 Eu sai dali, e ele veio logo atras de mim. Tomamos o nosso café, e teve um momento que Louis começou a rir, e eu o encarei.

Eu: Que foi?
Louis: E que eu lembrei do nosso primeiro beijo.
Eu: Não teve graça.
Louis: Teve sim, você ficou toda vermelha.
Eu: Não tem graça quando a pessoa fica vermelha.
Louis: Eu acho e acabo.
Eu: Sem graça. - dei língua.

 Ele riu, e eu não resisti e ri também. Acabamos nosso café e eu fui ver as roupas, elas já estavam secas, então eu fui dando na mão do Louis e ele levou para o quarto. Daqui a dois dias vamos embora, e eu vou sentir falta de tudo isso aqui, foi bom ter que dormi com ele todos os dias, os carinhos entre nos dois. Ele me ajudou a dobrar a roupa, igual a cara dele mais ajudou. Ele foi arrumar uma coisa para comermos. Eu redobrei a roupa que ele "dobrou" e assim que terminei guardei em seu devido lugar, colocando as minhas dentro da bolsa. Ele apareceu ali no quarto, dizendo que iria no mercado, e eu pedi para ele me esperar a trocar a roupa, e ele me deu privacidade saindo do quarto. Procurei uma roupa para mim, e assim que a achei me vesti.

-


-

 Arrumei meu cabelo, deixando ele solto. Só passei um brilho nos lábios, porque eles estavam ressecados. Uma ultima olhada no espelho, e sai do quarto. Topei com Louis no corredor, ele me deu um olhada de cima a baixo, me fazendo corar. Chegou mais perto de mim enquanto eu ia me afastando, cheguei na parede. Meu ar escapou de mim, fazendo minha respiração ficar descontrolada. Ele aproximou os lábios do meu ouvido.

Louis: Você ta linda. - senti minhas pernas bamba.
Eu: Vamos logo. - minha voz saiu como um gemido, e eu o ouvi sorrir.
Louis: Vamos. - ele se afastou de mim, me dando um selinho.

 Respirei fundo, recuperando o ar, e nos saímos de casa. O mercado era bem perto da casa, então fomos andando mesmo. Ficamos rondando o mercado, enquanto pensávamos em que preparar para o almoço.

Eu: Da pra decidir logo?
Louis: Fazer macarronada?
Eu: Ai que saudades da comida brasileira! - fiz um beicinho.
Louis: É tão boa assim?
Eu: É boa demais.
Louis: Um dia eu experimento.

 Compramos ingredientes para macarronada mesmo, e ficamos esperando na fila enorme. Comecei a cantarolar uma musica em português e ele ficou me olhando.

Eu: O que foi?
Louis: Que musica é essa?
Eu: Tenho certeza que você não conhece.
Louis: Mais posso conhecer.
Eu: Mais não vai aprender a cantar. - eu sorri.
Louis: Então ta.

 A fila finalmente andou, e chegou nossa vez. Ele pagou, e eu peguei as sacolas, que ele logo pegou de mim, colocando o braço em volta de meu pescoço. Chegando em casa, Louis foi direto para a cozinha, e eu fiquei na sala. Torei minha sandália e liguei a televisão, de pouco a pouco o sono veio me vencendo, então acabei dormindo.

                                              Você off
                                                       Louis on

 Eu resolvi preparar a macarronada para nos dois hoje. Esses dias tem sido tão bom que nem quero ir embora. Vou sentir falta de ver o rosto da (Seunome) todo dia de manhã. Deixei o macarrão cozinhando, e fui para a sala, e a encontrei dormindo. Tomei cuidado para não fazer barulho, desliguei a televisão, e a peguei no colo para leva-la para o quarto. Coloquei ela na cama, e a cobri, dando um beijo nela. Sai do quarto e fui para a cozinha, terminei de fazer o macarrão. Não estava aquela coisa perfeita, mais dava pra engolir. Comi na sala, assistindo televisão até ouvir meu celular tocar, deixei o prato de lado, pegando meu celular no bolso. Atendi sem ver quem era.

                   Ligação on

Eu: Alô?
Xx: Oi Louis, quanto tempo. -não reconheci a voz, então olhei no visor e vi que era a Kylie.
Eu: Oi Kylie.
Kylie: Onde você esta?
Eu: Doncaster, porque?
Kylie: Eu queria te dizer uma coisa.
Eu: Pode falar.
Kylie: É que o dono da Modest me ligou hoje cedo, marcando uma reunião com nos dois.
Eu: Pra que?
Kylie: Não sei, ele disse que só falaria quando tivermos juntos.
Eu: Ah claro. - isso sim é estranho. - eu vou embora no sábado, a gente se vê segunda.
Kylie: Ok.
Eu: Tchau.

                      Ligação of

 Joguei o celular ali no sofá, peguei o prato e voltei a comer. Eu to curioso, o que sera que a Modest quer de mim agora? Tomara que não seja nada de mais. Terminei de comer, e levei o prato para a cozinha, peguei um pouco de suco, bebendo tudo. Voltei a sala, desliguei a televisão e peguei meu celular, dei um pulo no banheiro, escovei os dentes, e fui ao quarto. Cheguei mais perto da cama, dando um beijo em seu rosto. Deitei em seu lado, e fiquei passando a mão em seu cabelo. Ela virou para mim, me abraçando, e ela parecia estar dormindo ainda. Eu a abracei também, acariciando o seu cabelo, e dando um sorriso bobo. Ela é ainda mais linda dormindo, eu estava fascinado por ela, ou apaixonado, sim, apaixonado é a palavra certa. Peguei meu celular, e mandei uma mensagem para o Harry dizendo que iria ir embora nesse sábado, e que segunda tinha uma reunião com a Modest e a Kylie. Fiquei conversando com ele por mensagem, enquanto admirava a (Seunome) dormi.

                                                  Louis off
                                                         Você on

 Abri os olhos, e me percebi colada a Louis no quarto dele. Eu o olhei, e ele olhava alguma coisa atras de mim, e nem percebeu que eu abri os olhos. Ele só percebeu quando eu me mexi, fazendo ele me olhar.

Louis: Acordou dorminhoca?
Eu: Como eu vim parar aqui?
Louis: Eu tive que carregar um peso para o quarto sabe? - dei língua para ele. - um dia vou corta a sua língua.
Eu: É mesmo? - tom de ironia, e ele sorriu.
Louis: Porque você não volta a dormi? Você fica melhor assim.
Eu: Porque eu não to com sono, e não vou dormi.
Louis: Vai comer alguma coisa.
Eu: Eu só vou porque eu to com fome. - ele sorriu.

 Me desabraçou, e eu fiz o mesmo com os meus braços. Eu me levantei da cama, e fui para a cozinha. Esquentei aquele macarrão que estava gelado, e coloquei um pouco no prato para mim. Me sentei na mesa, e comi. Poucos minutos depois, Johannah chegou em casa, aparecendo na cozinha com um monte de sacolas na mão. Terminei de comer, e lavei o prato que comi.

Johannah: Oi (Seunome), cade o Louis?
Eu: Oi Johannah, ele deve ta no quarto.
Louis: Eu to aqui. - olhamos para a porta da cozinha, e ele estava entrando, indo em direção a ela, a abraçando e beijando seu rosto.
Johannah: O que você quer?
Louis: Cruzes mãe, não pode te abraçar mais não?
Johannah: Aham, sei. - eu comecei a rir.

 Era incrível o jeito que eles se tratavam, eram mais como amigos do que filho e mãe. Era assim com a minha mãe também, mais eu não brinco com ela do jeito que o Louis brincava com a mãe dele.
 Já estava virando noite quando sentamos na casinha da arvore, com cobertores e cappuccino vendo o sol ir embora. O violão dele também estava ali, cantamos musicas juntos, brincamos de fazer feat, e nessa brincadeira ele começou a cantarolar uma musica que ele tinha acabado de inventar, e eu comecei a rir porque ela era engraçada. Ficamos ali fora até umas meia noite e pouca, até acharmos que estava muito frio e entrarmos em casa. No quarto conversamos e rimos até o sono chegar, quando eu já estava quase dormindo, Louis me puxou em um aperto forte me fazendo perde o ar.

Eu: Louis! - ele me olhou. - eu to ficando... - meu ar escapou e ele me solto, me fazendo recuperar o ar novamente.
Louis: Desculpa, é a emoção de te ter ao meu lado.
Eu: Melhor não se empolgar. - bocejei.

 Eu me virei de frente para ele, e ele me abraçou. Senti suas mãos em meu cabelo, acariciando ele até eu dormi.

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

 Continua...

 Não estou conseguindo ligar para você Isa, esta dando numero inexistente. Amo vocês, e obrigado por comentar Adrielly Prado, também amo você, e obrigado por ligar seu roteador algumas vezes para postar para as minhas divas *-*

12 de julho de 2014

Capitulo 21 - Moments.





-

 Acordei e não vi Louis ao meu lado, fiquei enrolando um pouco na cama, morrendo de sono. Eu me levantei e coloquei um short, e fui para a cozinha. Ele também não estava lá. Tomei meu café sozinha, e toda hora eu ficava viajando, e nem eu mesmo sabia para onde minha mente ia. Acabei, lavei o que estava sujo ali, e segui para o quarto, coloquei uma roupa e resolvi ir a farmácia comprar o remédio do dia seguinte. Mandei uma mensagem para Louis avisando que onde estaria a chave, e sai de casa. Primeiro eu fui na farmácia e depois fiquei andando por ai sem rumo, cheguei em frente a uma casa que eu conhecia melhor do que ninguém.

-



-

 Era a casa do meu pai, e pelo visto ela não esta tão arruinada, caminhei até ela, e percebi que ela estava trancada. Veio uma imagem na minha mente da minha mãe colocando a chave em uma pedra falsa antes de irmos para o aeroporto. Eu procurei a tal pedra e acabei achando, peguei as chaves e abri a porta. Percebi que a mobília ainda estava ali, tudo coberto por um lençol branco, do mesmo jeito que a minha mãe deixo. Ainda esta a mesma coisa de antes, o único problema era que o cheiro não era muito agradável. Andei pelos cômodos, da sala ao meu quarto, do meu quarto, ao quarto dos meus pais, do quarto dos meus pais ao banheiro, do banheiro a cozinha... Era bom rever tudo aquilo de novo, uma ultima olhada na sala e sai trancando a porta e levanto a chave comigo. Cheguei na casa do Louis, ele ainda havia chegado. Fui a cozinha pegar um pouco de água para tomar o remédio, e fiquei sentada ali, olhando para o nada, pensando em uma coisa que nem mesmo eu sei, encarando a chave que estava na minha mão, brincando com ela. Me levantei da mesa e fui para o quarto, peguei uma roupa pra mim na bolsa, deixei em cima da cama e segui para o banheiro. Fiz a minha higiene, tomei meu banho lavando a minha cabeça, e sai com a toalha enrolada em meu corpo. Vesti a roupa que estava em cima da cama, e sai do quarto. Na sala, eu liguei a televisão trocando de canal, na verdade eu estava com preguiça. Ouvi a porta batendo, mais eu não olhei, logo senti um lábios tocar minha bochecha. Olhei e vi Louis sorrindo.

Eu: Onde você foi?
Louis: Queria fazer uma caminhada.
Eu: Você demorou muito.
Louis: Sentiu minha falta? - seu sorriso estava ali em seu rosto, mais perfeito do que nunca.
Eu: Só um pouquinho. - dei um sorriso, e ele se aproximou, abaixando para encostar seus lábios nos meus.
Louis: O que você fez hoje?
Eu: Nada de mais, fui na farmácia comprar remédio pra mim.
Louis: O que é isso ai na sua mão?
Eu: A chave da casa dos meus pais. - ele olhava para ela, surpreso.
Louis: Pensei que tinha sido vendida.
Eu: Eu também achei.

 A conversa rolou até eu me levantar e ir a cozinha fazer uma coisa fácil para nos dois comermos. Ele me ajudou em algumas coisas, e quando estava pronto comemos na sala, assistindo televisão. Quando acabei de comer, levei os pratos para a cozinha e os lavei, guardando em seu devido lugar. Voltei para a sala e Louis estava sentado no sofá, me sentei ao lado dele, colocando a minha cabeça em seu peitoral. Ficamos trocando caricias durante um tempo, em silêncio. Era bom ficar com ele assim.

Eu: Vamos lá? - me levantei do sofá em um pulo
Louis: Onde? - ele me olhou.
Eu: Sair de casa, andar por ai.
Louis: Ah não, aqui ta tão bom.
Eu: Anda Louis!
Louis: Sua chata! - se levantou do sofá.
Eu: Sou mesmo, agora vamos!
Louis: Espera, vou tomar um banho primeiro. - me desabei no sofá.
Eu: Não demora. - ele abaixo para me dar um selinho molhado, e subiu.

 Fiquei olhando ele ir com um sorriso bobo, eu sou mesmo muito boba. Quando eu menos esperei suas mãos geladas estavam eu meu rosto, tampando meus olhos. Peguei em seus dedos, e os tirei dos meus olhos, o olhando. Eu não sei o que o sorriso dele tem que me fazia esquecer como se respira.

Louis: Vamos?
Eu: Claro.

 Dei o ultimo selinho nele, porque eu sabia que na rua eu não poderia dar, e saímos. Ele me levou para a praça que havia ali perto, sentamos perto de uma arvore velha, e eu me encostei nele. Peguei sua mão, e fiquei brincando com o seu dedo. Nossos olhares foram para as pessoas que andavam de skate ali na pista.

Louis: Sabe andar?
Eu: Nem consigo subir em cima de um skate.
Louis: Você vai aprender agora. - ele se levantou, me levantando junto.
Eu: Não Louis, eu não sei andar, eu vou cair.
Louis: Você confia em mim?
Eu: Confio
Louis: Acha mesmo que eu vou deixar você cair?
Eu: Não sei - ele começou a rir. - para de rir! Não vejo graça.
Louis: Se eu te deixar cair, você pode me dar um soco.
Eu: Então ta.

 Ele me puxou para a menina que estava com o skate na mão, e pediu emprestado. A menina logo o reconheceu e pediu uma foto. Assim que eles tiraram, eu fui com ele para a pista. Enquanto eu subia no skate, ele segurava a minha cintura. Ele me guiava enquanto eu pegava impulso com o pé. Em um momento eu quase cai, mais ele me segurou antes que eu chega-se ao chão. Começamos a rir, ele me ensinou um pouco. E depois de insistir muito, ele me deu folga da aulinha de skate. Fiquei olhando ele andar de skate, dando um sorriso bobo a cada vez que ele me olhava. Teve um momento que ele quase caiu, mais conseguiu se equilibrar.

-



-

 Eu comecei a rir. Depois ele entregou o skate a menina, que pediu um autografo no skate, e ele deu. Agradecemos a ela que deu um sorriso de orelha a orelha para nos dois, e fomos embora.

Eu: É tão fofo como vocês tratam as fãs.
Louis: Eu sei, somos demais.
Eu: Pronto, começou a se achar.
Louis: Eu to com vontade de fazer uma coisa.
Eu: O que?
Louis: Te dar um beijo. - eu fiquei vermelha.
Eu: Você sabe que não podemos.
Louis: Eu sei. - ele me puxou para mais perto. - pelo menos eu me contento em ter você perto de mim.

 Chegamos em casa, e eu ouvi o barulho da televisão ligada. A Johannah estava no sofá, dormindo. Louis acordou ela, e a levou para o quarto, enquanto eu fiquei ali na sala. Ouvi passos vindo na minha direção.

Louis: Quer comer alguma coisa?
Eu: Acho que não, eu to sem fome.
Louis: Eu ia te chamar pra jantar fora.
Eu: Deixa pra outro dia, eu to cansada.
Louis: Então vai dormi.
Eu: Tenho que falar com a minha mãe antes.
Louis: Vou comer alguma coisa. - me deu um selinho molhado, e saiu de casa.

 Eu subi para o quarto, peguei o meu notebook, e o liguei. Não demorou e eu recebi uma chamada de vídeo da Rafaela que eu logo atendi.


Eu: Oi amiga.
Rafaela: Sua galinha, você nem ligo pra mim! VOU TE MATAR. - eu comecei a rir.
Eu: Desculpa, eu nem sei o que é celular aqui.
Rafaela: Desculpa nada, e os sentimentos? E a saudade? Como fica?
Eu: Ah Rafa, não exagera! - ela fez um biquinho.
Rafaela: Isso ai que é amiga, acha que eu to exagerando ao sentir saudades.
Eu: Te amo amiga. - fiz um coração para ela.

 Ouvi alguém falando com ela, e a vi olhar para a pessoa. Niall apontou a cara no notebook, me fazendo sorrir. Ele se sentou perto dela, a empurrando para o lado.

Rafaela: Ai Niall!
Niall: Oi Pequena.
Eu: Oi Niall.
Niall: Cade o Louis?
Eu: Foi comprar um lanche pra ele comer, eu acho.

-



-

Rafaela: Niall!
Niall: O que?
Rafaela: Ta me atrapalhando!
Niall: To? - me olhou.
Eu: Não sei, acho que é ciumes bobos!
Rafaela: AF.
Xx: Com quem vocês estão falando?
Niall: A (Seunome), vem cá! -a Ariana apontou a cabeça, e se sentou na cama.
Ariana: (SEUNOME)!
Eu: Oi Ari.
Ariana: To sentindo a sua falta, porque certas meninas aqui esta me trocando pela Selena sabe?
Rafaela: Ah! Para ta? Eu não to trocando ninguém.

 Louis apareceu no quarto, e quando ele já iria volta, fiz sinal para ele vim até mim.

Niall: Quem ta ai? - ele se sentou do meu lado.
Louis: Oi Niall, oi meninas.
Eles: Oi Louis.
Niall: O que você compro pra comer?
Louis: Hambúrguer.
Niall: Eu to com fome.
Rafaela: Super normal isso! -eu, Ariana, e Louis começamos a rir.
Ariana: Quando você volta?
Louis: Vamos morar aqui agora.
Rafaela: OQUE? -a cara que ela fez me deu vontade de rir.
Louis: Isso mesmo. -
Rafaela: Amiga eu vou ir ai te buscar ta?
Eu: Ele ta zoando Rafa, vamos embora na sexta ou no sábado.
Louis: Vamos no domingo.
Eu: Sábado.
Louis: Domingo.
Eu: Sábado!
Louis: Ta bom.
Niall: Pelo visto vocês andam brigando.
Eu: Até que não.
Rafaela: O notebook ta pedindo carga aqui, depois conversamos mais. -ela fez uma carinha triste.
Ariana: Beijo (Seuapelido).
Niall: Tchau gente. -ele saiu da minha vista.
Rafaela: Eu te amo amiga, tchau.
Eu: Também amo você.
Louis: Fala para o Niall que depois ligo para os meninos.
Niall: OK - ele gritou de algum lugar do quarto.
Rafaela: Tchau.

 Ela finalizou a chamada, e eu olhei para o Louis. Dei um selinho demorado e molhado nele, e finalizei dando vários outros em seu rosto.

Louis: Tem certeza que não quer comer?
Eu: Quer me deixar gorda?
Louis: Não preciso, você já ta.
Eu: Não sou gorda. - estirei a língua para ele.
Louis: Vem comer?
Eu: To sem fome.
Louis: Por isso ta magrela desse jeito.
Eu: Sou gorda ou magra?
Louis: Você é gostosa. -senti minhas bochechas queimarem.
Eu: Vai indo, que eu já vou. -mudei de assunto.
Louis: To te esperando. - me selou e saiu.

 Peguei meu pijama, levei ele para o banheiro, fiz a minha higiene, coloquei o pijama, e levei a roupa suja para o quarto. Amanha eu vou lavar as minhas roupas, espero que o sol apareça. Fui direto para a cozinha, ele estava sentado ali me esperando. Me sentei em seu lado, e logo ele me deu o Hambúrguer. Comemos conversando, eu comi o que eu aguentaria, pelo menos umas três mordidas já me deixaram bem cheia, então dei mais uma para ele não reclamar. Ele já havia devorado o dele, e comeu o resto do meu. Ele que lavou tudo, e eu ajudei secando os pratos, e guardando. Fomos para o quarto, nos deitamos. Eu colocamos nossos rosto colados, e ele me deu um selinho.

-



-


 Ele estava acariciando meu rosto e isso estava me deixando com sono. Ele beijo minha testa, e eu dei um sorriso e fui  retribuída com outro sorriso perfeito. Acabei dormindo em seu braços depois de um tempo.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Continua...

 Desculpem, estou sem internet :(

23 de junho de 2014

Capitulo 20 - Mais do que perfeito. (hot)




-

 Caminhamos até o box entre beijos. Minhas mãos foram para a sua blusa tratando de tira-la logo, e voltando a beija-lo. Suas mãos apertavam meus seios ainda cobertos pelo meu sutiã, me deixando arrepiada. Separamos nossos lábios por falta de ar, e ele começou a beijar meu pescoço, descendo para meus seios. Suas mãos estavam em minhas costas, tirou o meu sutiã e jogou em algum canto. Ele abocanhou um deles, enquanto massageava o outro, meus gemidos estavam totalmente controlados. Uma de suas mãos desceu até minha coxa, a subindo para sua cintura, e me imprensando na parede. Desci as minhas mãos pela sua barriga, a alisando seu corpo até chegar em sua calça. Dessa vez ele não tirou as minhas mãos, desabotoei ela, eu olhei seu rosto. Ele estava me olhando também, com o sorriso mais perfeito e calmo do mundo. Ele tirou a minha perna de sua cintura, e tirou a calça, ficando apenas de box preta. Ele volto a me olhar, e me deu outro beijo, enquanto sua mão subia e descia em minha coxa, e a outra em meu peito, massageando. Ele largou meus lábios para dar atenção ao meu seio, chupando o bico, me fazendo gritar de prazer. Suas mãos desceram até a minha calcinha a tirando e colocou sua mão em minha intimidade, a massageando, fazendo-me gemer ainda mais alto. Desci minhas mãos, colocando dentro de sua cueca, tirando seu membro para fora. Comecei a fazer movimentos lentos, o ouvindo ele gemer bem baixo. Eu o beijei para abafar os nossos gemidos, mais mesmo assim não adiantou nada.

Louis: Não aguento mais. - sua voz me suava como gemidos.

 Ele se sentou em um lugar baixo, e eu sentei em seu colo, encaixando seu membro em mim, e ele chegou um pouco para o lado.

-



-

 Sua mão segurava a minha cintura, enquanto eu comecei a cavalgar lentamente para acostumar com o ritmo, depois comecei a ir um pouco mais rápido. Eu virei a minha cabeça para trás, gemendo. Eu ouvia os gemidos dele também, e isso me motivava a ir ainda mais rápido. Minhas pernas não estavam aguentando mais, e ele percebeu isso, me fazendo levantar de seu membro, e me virando de costas para ele. Ele encaixou na minha intimidade, segurou em minha cintura, e começou a movimentação rápida. Uma onda de prazer me atingia, me fazendo gemer alto. Louis se movimentava rápido e intensamente, me deixando ainda mais louca de prazer. Nossos gemidos eram altos, e eu estava amando isso. Chegamos ao nosso ápice juntos. Ele me virou para a frente, me colando em seu corpo. Nossas respirações eram desreguladas, nossos corpos suados, e mesmo assim ele ficava gostoso.

Eu: Porque você esta me olhando? Tem alguma coisa de errado comigo?
Louis: Eu to olhando o quanto você é perfeita assim. - minhas bochechas queimaram, e eu escondi meu rosto. - vem comigo.
Eu: Deixa eu tomar o meu.. - ele me interrompeu.
Louis: Vem logo. - me pegou no colo.

 Ele me levou para o quarto de sua mãe, e abriu uma porta que dava para a hidro. Me colocou no chão, e eu me sentei na beirada, olhando ele preparar o banho. Eu estava me sentindo incomodada com a minha nudez. Assim que ele acabou, me olhou sorrindo.

Louis: Vem. - eu caminhei até ele, pegando em sua mão.
Eu: Sua mãe não vai brigar com você não?
Louis: Ta com medo? - eu balancei a cabeça negando, mais era pura mentira, eu estava morrendo de medo dela brigar comigo, ou descobrir o que nos estamos fazendo em baixo de seu teto. - não precisa ter medo.
Eu: Mais eu não to com medo.
Louis: Sei.

 Ele sentou na banheira, e eu logo depois. A água estava quente, do jeito que eu gostava. Ele pegou um pouco de espuma em sua mão, passando em meu nariz, e eu comecei a rir. Eu também peguei sabão e bati a mão.

-



-

 Não demoramos muito ali, a nossa sorte era que havia toalha ali. Eu sai antes dele, e fui correndo para o quarto. Procurei uma roupa para mim, deixei ali em cima da cama, e quando iria me secar, Louis chegou no quarto, e eu inventei de secar o cabelo.

Eu: Droga!
Louis: O que foi?
Eu: Esqueci o meu secador em casa.
Louis: Relaxa, eu tenho aqui. - ele pegou um secador dentro do armario, e me entregou.
Eu: Obrigado. - eu peguei.

 Sequei o meu cabelo, e quanto terminei, me deparei com ele vestido, e deitado na cama, me olhando. Levantei uma sobrancelha.

Louis: O que foi?
Eu: Vou colocar a roupa.
Louis: Coloca. - cruzei os braços, e ele entendeu. - Ah, eu já te vi pelada.
Eu: Quero privacidade por favor! - apontei para a porta.
Louis: Chata. - ele saiu reclamando, e eu comecei a rir.
Eu: Sou mesmo. - gritei.

 Desenrolei a toalha do meu corpo, e me vesti com essa roupa.

-



-

 Deixei meu cabelo solto porque achei os cachos que estavam nele perfeito, passei um gloss, e o meu perfume. Ouvi batidas na porta, e comecei rir.

Eu: Pode entrar Louis. - ele abriu a porta.
Louis: Vamos?
Eu: Aonde?
Louis: Esqueceu do nosso lugar preferido? - como eu pude esquecer?
Eu: Vamos. - dei um pulinho, e fui de encontro com ele.

 Saímos de casa, e fomos andando mesmo. Ele me abraçou, dando um beijo em minha testa. Algumas pessoas que estavam passando cumprimentava ele. Até que enfim chegamos na trilha. Ele foi na frente, afastando o mato para mim passar. Quando chegamos eu pude ver a enorme arvore que costumávamos ficar sentados.

-



-

 Fiquei admirada com o que vi, ela continuava a mesma coisa, só que um pouco maior. Subimos em um lugar bem alto e perfeito para ver o pôr-do-sol. Nos abraçamos vendo o sol desaparecer. Ficamos mais um pouquinho, ele insistiu em fazer uma trança no meu cabelo, como eu sou uma boa menina deixei, quando ele terminou a trança, colocou a toca e me deu um beijo na ponta do meu nariz, depois fomos para casa. A Johannah não havia chegado ainda, e o Louis disse que ela chegaria a qualquer momento. Eu fui ao quarto dela, e arrumei o que eu e ele bagunçamos, e fui para o quarto do Louis, pegar meu notebook, fiz uma chamada de vídeo para a minha mãe, e não demorou muito até ela me atender. (vou usar a técnica da Karisa de dividir o português do inglês com as cores)

Mayra: Oi filha, que saudades. - ela sorriu.
Eu: Eu também sinto a sua, esta tudo bem ai?
Mayra: Mais ou menos, mais a vida segue não é?
Eu: O que aconteceu?
Mayra: Descobri que o cara que eu estava saindo é casado.
Eu: COMO ASSIM? - arregalei os olhos.
Mayra: Ele me disse que queria larga ela e ficar comigo, mais eu não gostei de ser enganada e terminei.
Louis: Você ta com fome? - ele estava na porta do quarto, me olhando.
Mayra: Quem ta ai? - olhei para o notebook novamente.
Eu: E o Louis mãe. - Ele se aproximou de mim, e olhou para o meu notebook.
Louis: Oi ér.. - me olhou.
Eu: É a minha mãe Mayra, mãe Louis.
Mayra: Esse é o famoso Louis? - revirei os olhos, balançando a cabeça positivamente. - Oi Louis.
Louis: Ela continua bonita. - ele me olhava.
Mayra: Ele me conhece?
Eu: É que ele é o meu namorado de infância mãe. - ela arqueou as sobrancelhas.
Mayra: Eu sabia!
Louis: O que vocês estão falando?
Eu: Ela queria saber como a sua mãe esta. - menti.
Mayra: Sua mãe esta ai?
Louis: Daqui a pouco ela chega, ela esta trabalhando. - o notebook pitou
Eu: Vou colocar o notebook pra carregar, só tem quatro minutos.
Mayra: Beijos meninos, se cuidem!
Louis: Tchau.
Eu: Eu te amo mãe.
Mayra: Também amo você.

 Desliguei o notebook, coloquei ele para carregar, e saímos do quarto. Ele propôs de irmos comer fora, e eu aceitei. Ele disse para a Johanna encontrar nós dois lá.

Eu: Me espera.
Louis: Vai aonde?
Eu: Me trocar.
Louis: Não, você ta perfeita assim.
Eu: Mesmo?
Louis: Mesmo.
Eu: Então vou arrumar meu cabelo.
Louis: Não demora.

 Corri escada acima, e fui para o quarto. Tirei aquela trança horrorosa que ele fez em mim, penteei meu cabelo de forma que aquele cachos perfeitos volta-se, passei o gloss, e desci correndo. Ele só me deu a mão, pegou as chaves, e foi para a garagem. O carro era da mãe dele, me perguntei de que ela foi para o trabalho. Ele abriu a porta para mim, e eu entrei, deu volta no carro e entrou. Coloquei o sinto, e ele ligou o carro, saindo da garagem.

Louis: Vou buscar a minha mãe antes.
Eu: Ok. - olhei pela janela.
Louis: O que você tem?
Eu: Só saudades da Rafaela, ela é chata mais eu me acostumei com a falação dela sabe? - ele tocou minha perna com sua mão, e eu o olhei.
Louis: Ela com certeza ta bem. - eu sorri.

 Não sei o que ele tinha, que me deixava calma, como se a hora passa-se logo. Ele seguiu para o trabalho de sua mãe, e ela estava saindo. Eu passei para trás, e ela ficou na frente com o Louis. Chegamos no restaurante, eu dei glorias porque não era refinado, ainda bem. Não queria entrar com aquela roupa simples em um restaurante daquele porte. Entramos, fizemos o pedido, e enquanto não chegava ficamos conversando. Quando chegou, comemos, sempre em conversas. A Johannah contou seu dia no trabalho para nos, e nos falamos como foi nosso dia, tirando o que fizemos dentro do banheiro, e que tomamos banho em sua hidro. Acabamos de comer, o Louis pagou, e fomos embora. Dentro carro eu só escutava o que eles conversavam, eu fiquei quieta, olhando pela janela, e por algum motivo lembrei de meu pai. Chegando em casa, fui direto para o quarto me despedindo de Johannah e de Louis. Subi cansada para o quarto, tirei aquela roupa vestindo só uma blusa grande que eu achei no guarda roupa, na verdade foi a primeira que eu peguei. Me deitei na cama e dei um cochilo que logo acordei com o Louis me puxando para ele, e como eu estava sonolenta, acabei dormindo novamente.

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

 Continua ...

22 de junho de 2014

Capítulo 5 - Hot N Cold


Voltei para perto de meus pais, estava amando todos os presentes. Meu pai veio segurando um presente e nem precisou dizer nada, já peguei de sua mão e fui abrindo... Era um porta retrato digital, sorri e o abracei agradecendo, depois eu veria as fotos que estavam ali já que Zayn já se aproximava para me entregar um presente também. Ele me abraçou me dando parabéns e depois me entregou. Desembrulhei o presente que parecia ser pequeno e era um óculos lindinho...



Coloquei o óculos e fiz biquinho olhando para Zayn, ele sorriu e eu tirei em seguida guardando de novo e aí chega Liam sorrindo e me abraçando.

Liam: Parabéns! Espero que goste. 

Ele me entregou seis presentes, franzi a sobrancelha e comecei a abrir. O primeiro era uma pulseira do batman, o segundo uma blusa de frio do batman, o terceiro uma calça jeans, o quarto uma capinha de celular do batman, o quinto uma mochila do batman e finalmente o sexto presente era um all star amarelo. Gargalhei ao ver aquele conjunto todo do batman...



Eu: Meu Deus Liam! -continuava sorrindo e ele ria comigo-
Liam: E aí, o que achou?
Eu: Amei. Obrigada. -o abracei de novo- Não precisava de tudo isso, mas amei! -ele sorriu- Agora acabou néh?

Ninguém mais veio até mim, então respirei aliviada e fui para a dispensa guardar os outros presentes. Quando me viro para sair dou de cara com Anne, a mãe de Harry segurando um presente pequeno nas mãos.

Anne: Eu não poderia deixar de dar um presentinho a minha nora. -sorri- Parabéns (Seu Nome), eu espero que você tenha muitos anos de vida para continuar fazendo Harry feliz. -me abraçou- 
Eu: Muito obrigada Senhora Anne. 
Anne: Anne, por favor. -assenti e ela me entregou o presente, eu abri e ela aguardava- 

Depois do embrulho era uma caixinha vermelha, a abri e vi um cordão lindo com uma coroa de pedrinhas brilhantes, era lindo. 

Eu: Nossa, que lindo! Muito obrigada Anne, é perfeito.
Anne: Não precisa agradecer, e ah... Foi Gemma quem me ajudou a escolher.
Eu: Vocês tem muito bom gosto, eu amei. -disse ainda olhando o colar-
Anne: (Seu Nome), eu gostaria de agradecer de verdade por estar com Harry. Eu sempre tive muito medo de que depois que Harry ficasse famoso começassem a surgir garotas apenas interessadas no que ganham estando com ele e não no que ele realmente é, e você se mostra ser completamente o contrário. Ele tem estado muito feliz ultimamente e eu me lembro bem quando ele ligou uma noite dizendo seu nome, chorando dizendo que estava sendo um idiota para chamar sua atenção. -eu tentei falar mas ela não permitiu continuando- Mas eu não fiquei triste com isso, porque só me deixou claro que ele está mesmo apaixonado. Harry jamais choraria por alguém que não ama de verdade, e você é a primeira garota que ele trás a minha casa e me apresenta como namorada. Claro que ele já teve outras, mas não tinha o mesmo brilho no olhar, e ele não falava nelas 24 horas por dia. -sorrimos- Querida, -ela pegou em minha mão- Harry te ama e eu só lhe peço uma coisa... Não o magoe. Tudo bem, ele pode parecer durão às vezes, mas Harry é uma manteiga derretida, muito mais sensível que você pensa. Gostei muito de conhecê-la e quero que saiba que para nós você já é parte da família e espero que logo isso seja oficial. -estremeci com essa última frase e assenti com a cabeça-
Eu: Prometo que não vou magoá-lo, estou completamente apaixonada por Harry. -olhei para ele sorrindo junto com Zayn e meus olhos se lacrimejaram- Ele é perfeito. 

Anne sorriu e me abraçou. Ela era tão calma em suas palavras, tinha um olhar fixo e um sorriso encantador. Desabraçamos e passei o dedo debaixo dos olhos.

Eu: Não posso chorar. -disse tentando me controlar e sorrimos-
Anne: Vamos lá, aproveite a festa.
Eu: Na verdade já estou um pouco com sono, acho melhor voltar para o apartamento, já são mais de meia noite.
Anne: Nada disso. Você vai dormir aqui essa noite. 
Eu: Obrigada pelo convite, mas eu não... -me interrompeu-
Anne: Harry já me disse que você é teimosa. -sorri- Seus pais vão dormir aqui, tenho quartos suficiente para todos, mas você pode dormir no quarto de Gemma com ela. 
Eu: Mas eu... -me interrompeu outra vez-
Anne: HARRY! -o chamou e ele veio até nós- A (Seu Nome) já está com sono e vai dormir aqui essa noite, leve ela até o quarto de Gemma.
Harry: Pra quê?
Anne: Ora, como pra quê? Para ela dormir Hazza! -disse como se fosse óbvio-
Harry: Não, ela vai dormir comigo. -me abraçou de lado e tive vontade de cavar um buraco para esconder meu rosto-
Eu: Harry, acho melhor eu ficar no quarto da Ge... -me interrompeu-
Harry: Não, você vai dormir comigo, no meu quarto, na minha cama. Ok mãe? -senti minhas bochechas quase fritarem-
Anne: Ok, como você quiser. -disse sorrindo- Boa noite querida. -me deu um beijo na bochecha- Deixou a garota envergonhada Harry. -disse saindo-

Coloquei a mão na testa  e Harry me soltou ficando de frente pra mim, olhei para ele que estava sorrindo, o dei um tapa forte no braço.

Harry: AI! Por que me bateu?
Eu: Porque você me faz passar vergonha! 
Harry: Mas o que eu fiz?
Eu: Agora sua mãe vai pensar o quê?
Harry: Deixa ela pensar... Vamos. 
Eu: Vou falar com meus pais primeiro. 
Harry: Ok, te espero aqui. 

Fui avisar meus pais que estava indo dormir, eles não perguntaram com quem, então não achei necessário falar e mesmo se perguntassem, eu não teria coragem de dizer que era com Harry. Desejei boa noite a Mari, minha tia, Josh, Gemma e já estava indo onde Harry me esperava quando Liam me pega pelo braço me dando um susto. 

Liam: Onde está indo?
Eu: Dormir.
Liam: Antes quero que conheça umas pessoas. -ele saiu me levando com ele-

Liam me apresentou sua mãe e seus outros familiares, depois me apresentou para a família dos outros meninos. Todos eram muito educados. Já estava exausta quando Liam disse que terminou. Acho que conheci todos que estavam ali, o desejei uma boa noite também e aos outros meninos e enfim fui até o Harry, o encontrei sentado na escada para o segundo andar.

Harry: Achei que você tinha desistido. -se levantou- 
Eu: Liam me apresentou para todos que estão aqui. -disse suspirando e Harry me abraçou de lado para subirmos as escadas-

Chegamos ao segundo andar e havia dois corredores, um para cada lado, fomos para um deles e o quarto de Harry era o último. Entramos e ele fechou a porta. Suspirei passando as mãos pelo rosto, depois olhei em volta, a cama dele era grande, as paredes brancas com alguns quadros e pôsteres de bandas de rock, um guarda roupa, dois criados mudos, uma janela. Olhei para trás e ele estava de pé olhando para mim, parei olhando para ele que sorriu, logo sua boca me chamou a atenção, suas covinhas, sua boca vermelha, seu sorriso, sua boca, seu olhar, sua boca, seu cabelo, sua boca... Eu precisava daquela boca, como era tentadora, como eu sentia falta, me aproximei dele devagar, parei em sua frente, ele fechou o sorriso e molhou os lábios. 

~ Você Off ~

~ Harry On ~

Fiquei a observando enquanto ela olhava todo o meu quarto. Até que ela para em minha frente, seu olhos direcionados a minha boca, eu queria beijá-la naquele momento, mas não iria me render, ela precisava se render e não eu.

Eu (Harry): O que foi? -ela molhou os lábios-
Você: Senti saudade de você.
Eu: Eu também. -sorriu-
Você: Não parece.
Eu: Por quê? 
Você: Você não me deu um beijo desde que cheguei. -sorri de lado-
Eu: Você quer?
Você: É claro que eu quero, você não percebeu que tenho estuprado sua boca mentalmente desde que você chegou? Estou quase ajoelhando no chão para te pedir um beijo e você pergunta se eu quero? -ela dizia indignada enquanto eu me aproximava- Você só pode estar brincando. -a calei dando um selinho-


Sorri de lábios unidos e ela olhou novamente minha boca, levantou sua mão passando-a pelo meu rosto até que me beijou... Sim, ela me beijou! Sua língua pedia passagem em minha boca e eu dei, logo colocando a minha em batalha. Era um beijo tão gostoso, acho que pela saudade que eu sentia de sua boca. Ela me beijava com vontade, não nos permitia respirar, um beijo longo e selvagem até que ela parou e respirou um pouco, já ia dizer algo mas ela me puxou pela gola da camisa me beijando outra vez...


Nosso beijo ficava cada vez mais quente, ela conseguia me esquentar tão rápido... A peguei no colo colocando contra a parede e continuamos nos beijando, ela segurava minha nuca com força e minhas mãos a seguravam firme nas coxas, parei de beijá-la e comecei a descer beijos pelo seu pescoço, ela respirava ofegante, mas me afastou com os braços, parei os beijos e a olhei.

Eu: O que eu fiz?
Você: Nada, é que eu acho melhor a gente não... Você sabe...
Eu: Por quê?
Você: Pelo menos não hoje, estamos na casa da sua mãe.
Eu: E...?
Você: Você sabe que somos barulhentos. 
Eu: A gente controla. -disse dando um selinho-
Você: Não Harry. Me põe no chão. -ela me afastava com um braço-

A coloquei no chão e olhei em seus olhos, ela abaixou a cabeça, mas levantei de novo com a mão em seu queixo e sorri.

Eu: Você é tão linda. -ela sorriu ficando vermelha e me abraçou-
Você: E você é tão gostoso. -falou em meu ouvido me arrepiando completamente-

Peguei em sua cintura e beijei seu queixo, ela levantou a cabeça e aproveitei para beijar seu pescoço, mas como insistia em fugir de meus beijos ali, subi até sua boca novamente e a beijei devagar... Já estava me sentindo excitado e comecei a descer minhas mãos por sua bunda, ela as segurou e me parou outra vez.

Eu: (Seu Nome), fica quieta vai... -pedi em seu ouvido, mas ela continuava me empurrando- 
Você: Harry para! -parei, respirei fundo e olhei para ela


- Não adianta fazer essa carinha, aqui não dá. Eu quero tanto quanto você, mas não na casa da sua mãe.
Eu: Por favor... Eu vou com cuidado, qualquer coisa eu te beijo, você me beija e fica tudo certo. -aproximei minha boca e ela sorriu- 
Você: Isso não funciona, e você sabe. -ela tentou sair, mas coloquei um braço de cada lado do seu corpo na parede- Harry... -falou suplicando- 
Eu: Confia em mim... -ela olhou para minha boca querendo parecer resistir e me surpreendeu passando por debaixo do meu braço e entrando no banheiro correndo fechando a porta. Fui atrás, mas não consegui alcançá-la, tentei abri a porta, mas estava trancada- (Seu Nome), qual é? -ela gargalhava- Tudo bem, uma hora você vai sair daí e eu vou estar aqui esperando. -disse fingindo não me importar, mas a verdade é que estava quase arrombando aquela porta-
Você: Tudo bem, eu começo a gritar e Anne vai descobrir o filho tarado que tem!
Eu: Abre essa porta! -disse tentando abrir-
Você: Promete ficar quieto? -fiquei calado- Pois bem, hoje vou dormir no banheiro. 
Eu: Tenho a chave desse banheiro (Seu Nome). -menti-
Você: Mentira!
Eu: Se eu abrir e entrar aí dentro vai ser bem pior, acredite.
Você: Então abre, mentiroso! 
Eu: Ok. -peguei uma chave qualquer e fingi tentar abrir a porta, ela estava calada- Quando eu abrir essa porta, você já era. -disse mordendo os lábios-
Você: Para! Eu vou abrir. -sorri vitorioso- 
Eu: Estou esperando. -ela destrancou e abriu a porta devagar, olhou para mim amedrontada e sorriu, eu dei um passo e ela ameaçou fechar a porta de novo me fazendo gargalhar- Medrosa, eu estava brincando, não vou estuprar você. Sai logo daí. 
Você: Vai se comportar?
Eu: Érr... Vou. 


Ela apertou os olhos e saiu do banheiro me olhando desconfiada. 

Você: Érr... Eu posso arrumar a cama? Estou com muito sono. 
Eu: Claro, eu... Vou tomar um banho. -peguei roupa e uma toalha- E ver se me alivio um pouco, já que está difícil. -falei baixo-
Você: O quê?
Eu: Nada. 

Entrei no banheiro e fiquei o banho inteiro sorrindo pensando que havia conseguido, ela me pediu um beijo e ainda me beijou. As coisas que ela me disse, seu beijo... Encontrei a garota perfeita. 

~ Harry Off ~

~ Você On ~

Enquanto Harry tomava banho, peguei três cobertores, já que estava muito frio e estendi na cama, soltei o cabelo e o penteei em frente o espelho com os dedos mesmo e me sentei sorrindo, mordendo meus lábios pensando no beijo que tinha dado no Harry... Que boca deliciosa. Estar nesse quarto com ele, nessa cama, lógico que tudo isso me deixa a flor da pele, mas na casa da mãe dele eu não tenho coragem, principalmente com meus pais aqui. Imagina que vergonha eles comentando sobre os gemidos, ou barulhos vindos daqui. Não, eu tinha que resistir e cortar os embalos do Harry, depois posso compensar tudo isso. Ele saiu do banheiro secando seu cabelo com a toalha, depois o penteou e pendurou a toalha se sentando do outro lado da cama. Olhei para ele enquanto ele encarava o nada, fiquei admirando sua beleza até ele se levantar e mexer em algo no seu guarda roupa, depois se sentou de novo na cama e comecei a tirar meu sutiã por debaixo da blusa, assim que tirei o joguei para o lado e olhei para Harry que me olhava...

Sorri e ele se deitou na cama por cima das cobertas, fiz o mesmo indo até ele e o dando um beijo, molhado e demorado. 

Harry: Todos já te deram presentes, o meu não poderia passar em branco.
Eu: Você é meu melhor presente. -falei passando a mão em seu rosto-
Harry: Eu sei disso, mas continuando... -sorri estreitando meus olhos- O meu presente não veio embrulhado, mas é de coração e eu espero que você goste. 
Eu: Ta bom, fala logo o que é... -ele tirou um papel de dentro da sua blusa e me entregou, eu peguei sem entender-
Harry: É uma passagem com um acompanhante para Paris.
Eu: Meu Deus! Sério? -ele sorriu- Awn Harry! -enchi o rosto dele de selinhos- Awn que lindo... Obrigada! 
Harry: Ok... Então você gostou. 
Eu: Amei, amei, amei, amei! E é lógico que meu acompanhante vai ser você.
Harry: Eu? (Seu Nome), o presente é para você, chame outra pessoa, sei lá, sua mãe. 
Eu: Não, a lua de mel deles foi lá, eles conhecem Paris, eu não e quero você como meu acompanhante.
Harry: Mas eu também já conheço Paris.
Eu: Mas eu quero que seja você e vai ser você e ponto. 
Harry: Nossa, então ta... Eu não estava nem um pouco interessado em viajar só com você para Paris mesmo... -falou irônico e o abracei- 
Eu: Obrigada!
Harry: Não precisa agradecer... Hoje é seu dia e você merece. 

Coloquei a passagem em cima do criado mudo, apoiei minha cabeça em sua barriga o olhando e comecei a mexer em seu cabelo molhado. 

Eu: Desculpa, eu juro que faria o que você quisesse se estivéssemos em outro lugar.
Harry: Vamos para o apartamento. -sorri- É sério. 
Eu: Harry, não começa. -ele bufou- Você fica tão bonitinho com esse biquinho. -o selei-
Harry: Não provoca.
Eu: Não estou provocando. Fiquei muito tempo sem um beijo seu, isso dói sabia?
Harry: Por que não me beijou?
Eu: Como, depois de tudo que eu te disse? -fiz uma cara triste e ele acariciou meu rosto-
Harry: Acha mesmo que eu iria me importar?
Eu: Achei. 
Harry: Já passou, e eu nunca negaria um beijo seu. -sorri e peguei a mão dele a beijando- 

Alguém bateu na porta, eu me sentei na cama e Harry continuou deitado falando para a pessoa entrar. 

Anne: Oi... -sorriu- Só passei para saber se está tudo bem. 
Harry: Está tudo bem mãe.
Anne: Ok, se precisar de algo pode chamar ok (Seu Nome)?
Eu: Ta bom, não se preocupe. -sorri e ela acenou-
Anne: Boa noite.
Eu&Harry: Boa noite. -ela saiu fechando a porta-

Harry se sentou na cama me puxando pra ele, me sentei entre suas pernas de costas para ele, Harry colocou meu cabelo todo para um lado e apoiou seu queixo em meu ombro. 

Harry: Ficava pensando no cheiro o tempo todo. -sorri passando minha mão por seu rosto- Ah, como vai o Hazza? -perguntou debochado-
Eu: Ele vai muito bem... -falei entrando na brincadeira dele-
Harry: Ele conseguiu me substituir bem?
Eu: Não, mas ele serviu como consolo. -Harry sorriu- 
Harry: Hazza é muito inocente... 
Eu: Você acha? Eu não acho nem um pouco. -sorri olhando para ele e nos beijamos outra vez, finalizei dando vários selinhos nele e apertando seus braços em volta da minha cintura- 
Harry: Conversei com o seu pai hoje. 
Eu: Sério? O que ele disse?
Harry: O suficiente pra me deixar assustado. -sorri- 
Eu: Ah, ele parece durão, mas é um palhaço. 
Harry: Desculpa, mas não posso concordar com você. 
Eu: Está com medo do sogrão, é?
Harry: Se for preciso enfrentá-lo pra ficar com você, eu vou enfrentar. 
Eu: Hmm... -sorri e peguei sua mão começando a brincar com ela- Sua mãe é um amor... Eu também conversei com ela. -ele prestava a atenção- Ela me disse que você mijou na cama até os 15. 
Harry: O quê? É mentira, eu só fiz isso até os 8 anos. -gargalhei- 
Eu: Estou brincando Harry. -ele mordeu meu pescoço, dei um gritinho e me arrepiei- Ela é linda. 
Harry: É claro que é, por que você acha que sou assim? 
Eu: Ta bom Senhor convencido, vocês se parecem mesmo. 
Harry: Eu sei. 
Eu: Cala a boca Harry. 
Harry: Me obrigue. -falou em um sussurro no meu ouvido, me arrepiando de novo-

Me virei e comecei a dar tapas nele, ele se deitou e fiquei por cima tentando tampar sua boca, mas ele gargalhava e segurava minhas mãos até nos virar e ficar por cima de mim. 

Eu: Me solta! Eu vou tampar sua boca!
Harry: Vai ter que comer muita salada para fazer isso. -dizia sorrindo e me segurando-
Eu: Cachorro, vou te ma... -ele me calou com um beijo e soltou minhas mãos aos poucos- 

Harry me beijava devagar e deliciosamente, depois começou a morder meus lábios e me beijava outra vez, isso me tirava de mim. Suas mãos percorreram as laterais do meu corpo até entrarem pela minha blusa e percorrerem minha barriga, Harry passou seus beijos para meu pescoço, eu tentava pará-lo, mas no fundo não era o que eu queria. Seus lábios desceram pelo corpo até minha barriga onde ele subiu um pouco minha blusa e passou a dar beijos mais molhados me arrancando suspiros...


Ele começou a desabotoar minha calça quando alguém bateu na porta, me assustei, mas ao mesmo tempo respirei aliviada. Harry parou o que estava fazendo e se sentou na cama, abotoei minha calça e me sentei também.

Harry: Entra. 
Gemma: Gente, desculpa atrapalhar, vocês devem estar querendo dormir.
Harry: Aham... 
Gemma: (Seu Nome), eu vim deixar essa roupa aqui para você se trocar amanhã, ok?
Eu: Obrigada Gemma, muito obrigada. 
Gemma: Desculpem outra vez e tenham uma boa noite. -piscou sorrindo e fechou a porta saindo- 
Eu: Ufa. -respirei aliviada- 
Harry: Onde estávamos mesmo? -sorriu malicioso colocando sua mão em minha cintura- 
Eu: Não... Não Harry. -ele beijava meu pescoço e alguém bate na porta outra vez- 
Harry: Que droga! -reclamou dando um soco na cama- Quem é?
XX: Sou eu Harry. -era a voz de Anne-
Harry: O que foi mãe?
Anne: Só quero falar uma coisa com a (Seu Nome). -colocou um dedo sobre minha boca-
Harry: Ela já dormiu, fala com ela amanhã. 
Anne: Ah que pena. Desculpe incomodar querido. -ele tirou o dedo de minha boca-
Eu: Nem pense em vir me atacando de novo. -me sentei na cama desabotoando minha calça e a tirando- 
Harry: Como não quer que eu te ataque tirando sua calça assim?
Eu: Só estou tirando porque ela é apertada e não consigo dormir com jeans me apertando. -joguei a calça embaixo da cama e me deitei me cobrindo- E não adianta me olhar assim, estou morrendo de sono. 
Harry: Estou morrendo de saudades de você. -disse me abraçando por trás e cheirando meu pescoço- 
Eu: Já disse que também estou, mas você está sendo muito insistente.
Harry: E você está sendo muito má, acha que é bom dormir de pau duro? 
Eu: Não sei, eu não tenho um. -ele se cobriu parecendo estressado- Boa noite.
Harry: Só se for pra você. -sorri de lábios unidos pensando na carinha linda de raiva que ele devia estar fazendo-

Mordi meus lábios, se ele soubesse como minha calcinha está agora não estaria falando desse jeito comigo. Fechei meus olhos tentando relaxar e consegui dormir. 
______ ** ______

(Continua...)
--------------------------------------------------------------------------------------