25 de novembro de 2014

Capítulo 2 - My first day in new life

                                                                           Você On

Acordei com o barulho irritante do despertador tocando na minha cabeça, peguei o celular e desativei o despertador, era 06:20, me levantei e fui pro banheiro tomar um banho, sai, me sequei e escovei meus dentes, fui para o quarto pra me arrumar, graças a Deus, aqui não tem essa coisa de uniforme, aqui pode roupa comum, como aqui também é raro um dia quente, peguei uma calça dentro da mala, um moletom da gap rosa, lindo, que eu acabei de achar na mala (obviamente, presentinho da mamis)

E coloquei meu coturno favorito, eu amo coturnos, e uso sempre, tava simples mas eu gosto assim, passei um pouco de pó, um pouco de rímel e gloss rosa claro, peguei uma bolsa, coloquei as coisas que precisaria, e desci as escadas, me deparei com uma sala que eu ainda não tinha visto, e nem reparei ontem, depois eu vejo oque é, aqui não tem comida, então vou ter que passar no starbucks, depois da escola, vou fazer compras, porque não da pra sobreviver de comida de fast-food, e também porque minhas economias recebidas no Copacabana Palace (onde eu fazia estágio de turismo) não vão durar pra sempre, vou precisar arranjar um emprego, por enquanto eu aguento, enfim, sai, tranquei a casa e sai, o colégio ficava a 10 minutos daqui, eu tinha 20 minutos, passei no starbucks, pedi um frapuccino de chocolate e dois muffins de banana, comi rápido, e fui bebendo no caminho, cheguei no colégio e entrei, eu estava com tanta vergonha, sem motivos, mas estava, na verdade, tem motivos sim, estava com vergonha de todos me encarando estranho, meninas com cara de nojo, garotos com cara de "vou te estuprar", eu decidi andar olhando pro chão, eu não queria ser encarada, principalmente no primeiro dia de aula, continuei andando, me disseram pra passar na recepção quando chegasse, e foi oque eu fiz, passei lá e falei com a secretária, ela me deu uma folha com todos os meus horários de aula, disciplinas, nomes de professores e número de sala, a primeira aula era de uma Sr Lege, era aula de História, ótimo, eu sou apaixonada por história, fui andando pelo corredor, à procura da sala 303, o corredor estava vazio, provavelmente todos já estavam em suas salas.

xxxx: aaai, me perdoa, eu não fiz querendo, sério, é que eu to atrasada, me desculpa, eu..
-  uma menina tinha esbarrado em mim e derrubou minha bolsa no chão, ela abaixo e pegou-
xxxx: Toma, desculpa, você é aluna nova não é ?
Você: Está tudo bem, sem problemas - dei um sorriso - Sou sim.
xxxx: Você deve ser a (Seu Nome) Ventapane, fomos avisados do intercâmbio de alguns alunos, vi sua foto lá, está indo pra que sala ?
Você: Foto ? Hã, é, sou eu, e estou sim, e você ?
xxxx: Estou, e estamos atrasadas, vem, é melhor a gente ir antes que a Sr Leger tenha um surto com nosso atraso, à propósito, meu nome é Cara Delevingne.

Você: Prazer meu nome é, hã, você já sabe - rimos - me chame de (Seu apelido)
Cara: Vamos.

Eu e Cara, fomos até a nossa sala, e pedimos permissão pra entrar, foi condida então nós fomos para as ultimas cadeiras e nos sentamos, eu fui andando, olhando totalmente pra baixo, eu só via meus pés e o chão, eu estava com muita vergonha, já que desde que entrei na sala só ouvia murmurações e sussurros, me sentei e olhei pro lado, um garoto olhou pra mim


xxxx: Seja bem vinda, meu nome é Dylan, prazer 
Você: Obrigada, eu sou.. - ele me cortou-
Sean: (Seu Nome), é eu sei, muitos falaram de você - engoli em seco, o que será que tanto falam de mim ?-
Você: aaah, e oque falam de mim ?
Dylan: Que você é bonita, mas provavelmente eles estavam mentindo - olhei pra ele com uma cara de bunda, ele acabou de me chamar de feia -
Dylan: Porque você é linda - Cara riu e deu uma tapa nele -
Cara: Para de encher ela, ela mal chegou e você já quer cair matando, você é péssimo !
Dylan: Também falaram que sua bunda é muito grande, adoro brasileiras !! - ele disse e baixou o olhar pra olhar pra minha bunda, eu estava sentada, mesmo assim ele olhou-

Você: Eeeei, não faça isso, pelo menos não na minha frente.
Dylan: Pelo menos não sou o Daniel, ele apostou comigo que apertaria sua bunda antes de mim.
- olhei pro lado e um menino se manifestou-
Daniel: Não foi assim - nossa que garoto gato, Senhor, que que isso, estou no céu ? Não é possível, que sorriso perfeito, não posso babar, não posso babar, não posso babar, estava repetindo pra mim mesma, porque tava bem difícil nesse momento 

Daniel: Nós apostamos, quem ia conseguir te seduzir primeiro.

Daniel: Eae ? Estou conseguindo ?  - Não consegui conter uma risada, os dois riram, e então a professora nos olhou com um olhar de reprovação, então paramos e voltamos à prestar atenção no que a professora falava - 

                                                          

                                                                            12:00 
A hora passou bem rápido,Cara, Dylan e Daniel são bem legais, na minha sala tinham uns garotos beeem gatos, bem maravilhosos pra ser exata, ficaram me encarando mas não cheguei a conhecer muitas pessoas, Cara é uma garota muito legal, e foi a unica simpática comigo, ela é muito engraçada e bem brincalhona, ela me falou bastante sobre sua vida, e me perguntou as coisas que eu gostava de fazer, ela era modelo fotográfica, mas o sonho era andar nas passarelas, tenho certeza de que ela vai conseguir, ela é linda.
Me despedi dela e fui andando, eu ainda passaria no mercado, conforme eu andava pelos arredores da escola, podia observar cada Pedaço de mal caminho garoto que me encarava, e um deles, era tipo, uoooool, ele ainda não estava olhando pra mim, até que cutucaram ele e falaram algo pra ele, ele olhou pra mim no momento que eu o encarava.

Eu juro que preferia ter enfiado a cabeça em um buraco, ele era muito lindo, como todos por aqui, todos tinham rostos angelicais, tenho quase certeza que fui transferida pro lugar errado, esse lugar, é tão lindo, com pessoas lindas e casas lindas, rrrrrr, continuei andando, e fui direto pro mercado, precisava comprar coisas pra sobreviver, eu estava com uma listinha 

  • 5 kg de arroz
  • 2 kg de feijão
  • uma esponja de lavar louça
  • papel toalha
  • Produtos de limpeza geral
  • shampoo e condicionador
  • Sabonetes
  • Absorventes
  • 1 kg de batatas congeladas pra fritar
  • 2 potes de nutella
  • cookies de chocolate
  • 2 pacotes de macarrão espaguete
  • Papel higiênico 
  • Molho de tomate
  • 2 kg de carne em bife
                                               ....
A lista era bem grandinha, porque né, eu ia morar sozinha mas precisava de mantimentos descentes em casa, eu não queria viver comendo coisas gordurosas, então peguei logo tudo que eu precisava, peguei legumes, frutas e etc, fiquei na fila do caixa e tinha um garoto na minha frente, ele me olhou e começou a puxar assunto
xxxx: Oi, você é a vizinha nova, da rua Thompson, numero 215 ?

Você: Hã, sim e você é meu vizinho de qual dos lados ? - rimos -
xxxx: Sua casa é do lado esquerdo da minha, à propósito, eu sou Harry - Meu Deus, ele é o dono daquele casarão que eu vi quando cheguei -
Você: Prazer Harry, eu sou (Seu Nome)
Harry: Desculpa perguntar, mas, como você pretende levar tudo isso ?
Você: É - olhei pra ele com uma cara de sem graça, eu tinha esquecido disso - Eu não pensei nisso - ele riu- Mas eles não fazem entrega à domicilio ?
Harry: Não 
Você: aah, que merda, pensei que faziam, eu sou brasileira, lá eles fazem, então pensei que também era assim aqui - a atendente deu uma risadinha e olhou pro Harry- 
Harry: Você mora do lado da minha casa, eu estou de carro, porque não vem comigo ?
Você: Sério ? Ok, Obrigada mesmo, eu não sei o que faria, sinceramente eu não sei mesmo não - ele riu novamente e olhou pra mim -

Harry: Vamos ? 
Você: Vamos.  - Sorri pra ele e peguei as bolsas, ele me ajudou a colocar no carro, e quando terminamos, ele abriu a porta do carona pra mim, entrei e pedi obrigada, ele entrou e se sentou, ligando o rádio, estava tocando Waves, então ele aumentou e ligou o motor, fomos pelo caminho em silencio, até que ele decidiu quebrar o silencio -
Harry: Você disse que é brasileira não é ? - confirmei com a cabeça - Eu acabei de voltar de lá, é um país incrível, pessoas adoráveis, as fãs são maravilhosas, adorei aquele lugar, principalmente Rio de Janeiro - dei uma gargalhada por que a pronuncia dele foi engraçada, ele riu também e prosseguiu falando- Em que lugar do Brasil você mora ? 
Você: Sou do Rio de Janeiro, como assim, fãs ? 
Harry: Tenho uma banda, e estavamos em turnê, fizemos show lá no dia 08 desse mês - Meu Deus, para, para tudo, é esse, esse menino, que a Hazel tanto fala e enche meu saco, que foi no show, ele é daquela banda famosa, a One, one.. One Direction-
Você: aaaaahh, sim, minha amiga ama vocês, One Direction certo? Ela ficaria louca se estivesse aqui agora, ela foi no show, você é o favorito dela, ela me falou também, sobre uma tatuagem sua, escrito Brasil, mas eu não entendi muito oque ela falou. - ele sorriu -
Harry:  Sim, somos nós, e sim fiz uma tatuagem escrito Brasil, na coxa
Você: Hm, ela me ligou do show, berrando dizendo coisas sobre essa tatuagem, não entendi porque tinham muitas pessoas gritando.
Harry: Foi uma gritaria só, tinham garotas enlouquecidas e exatamente assim - ele imitou as fãs de um jeito estérico, com olhos arregalados e fazendo gritinhos femininos
 eu gargalhei e ele também, finalmente chegamos, eu desci e fui pegando as bolsas, ele também foi deixando na varanda da minha casa, quando terminamos, nos despedimos.

Você: Muito obrigada meeeesmo, você me ajudou muito, sério, obrigada.
Harry: Não foi nada, quando quiser fazer compras, já sabe - piscou pra mim e eu ri- 
Você: Pode deixar, nos vemos por ai.
Harry: Com certeza, pode me dar seu número? Slá, caso um dia, alguma emergência, na qual você esteja com muita vontade de sair comigo, ir à um restaurante talvez.
Você: Érrh, tudo bem, anota ai  9xxx-xxxx.
Harry: Tchau.
Você: Tchau - sorri - 

Fiquei observando ele se distanciando e acenando com cara de bobo, 

Do nada, ele escorregou e caiu deitado,
quando eu percebi eu já estava gargalhando muito, e chorando de rir, eu estava prestes a fazer xixi nas calças se não parasse, gritei pra ele entre muitas risadas, percebi que ele também ria muito.

Você: Está tudo bem ???
Harry: Sim - disse ele se levantando- Está tudo ótimo ! Este chão está um pouco molhado, tome cuidado pra não cair como eu 
Você: Pode deixar  - Ele se levantou e ficou encarando o chão de uma forma engraçada, e então saiu andando em direção ao portão da casa dele, entrei e fechei minha porta, encostei na parede e fiquei rindo muito-        
       Continua..
                                                                        -------------------

oooi ooi gente, tudo bem ? Ta ai o Cap 2, logo logo posto o 3, comentem, me digam oque acharam.
Bea ;*

23 de novembro de 2014

Capitulo 1 - Leave me alone



                                                                       Você On



São 19:00, as meninas combinaram de vir aqui 18:30, pra fazer a tal despedida de amigas, elas estão 30 minutos atrasadas, oque é bem normal, já que elas se atrasam pra tudo, não tem ninguém em casa, mamãe vai chegar do trabalho daqui a pouco, Marcos está na faculdade e papai só chega da empresa as 22:00, fiz pipoca, comprei aqueles pacotinhos de bala fini que eu sei que as meninas adoram, tem nutella e kit kat na geladeira, sem falar do sorvete, todas as gordices prontas para serem atacadas, e oque não podia faltar, coca-cola, sentei no poof da sala e fiquei assitindo The x factor e fazendo reclamações aleatórias sobre as músicas escolhidas pelo Louis,
até que a campainha tocou, fui correndo abrir, tinha certeza que eram elas. Abri a porta e fui logo falando

Você: Vocês são muito enroladas, nunca vi ningu.. - quando olhei, era mamãe, então desanimei e fiquei quieta.
Sua mãe: Esperando alguém filha ?
Você: Sim, Hazel e Mari combinaram de vir dormir aqui hoje, já que é meu ultimo dia né
Mamãe: Falando nisso, comprei umas coisinhas pra você, ta ma mala do carro, depois eu pego, me ajuda aqui a tirar esse sapato horroroso.
Falou em "comprei"  e " pra você" eu já fico animada. Ajudei ela a tirar os sapatos e voltei pro poof da sala, quando acabei de sentar, a campainha tocou de novo, dessa vez eu tinha certeza que eram elas duas, corri até a porta e a abri, eram elas mesmas, elas entraram e ficaram olhando pra mim com cara de bobas.

Você: Atrasadas.
Mari: Hazel não podia vir até encontrar sua "sagrada"- fez aspas com os dedos ao pronunciar sagrada- pulseira da sorte.
Hazel a olhou de cara feia e falou:
Hazel: Você é ridícula, não é uma pulseira sagrada, você sabe que quando a esqueço sempre acontecem coisas ruins.
Mari: ta ta, você e suas superstições, bla bla
Nós rimos e fomos pra sala, elas cumprimentaram mamãe e se sentaram
Você: Então, oque vamos fazer de tão especial pra minha despedida?
Mari: vamos ver filmes, comer doces e dormir.
Fiz cara feia, Hazel tacou uma almofada em mim e nós rimos
Hazel: O que você esperava ? Que fossemos com você pra sua mansão em Londres e chamar aqueles seu amigos britânicos gatos ?
As duas gargalharam
Você: HA HA HA, idiotas, eu sei, mas sei lá, pensei que ia ser mais legal..
Mari: Como ousa nos chamar de sem graças dona (seu nome)?
Hazel: (seu apelido), você não vai morrer, ainda temos muito tempo pra fazer coisas legais com você, é só mais um noite das garotas

Mamãe se levantou olhando engraçado pras meninas e disse:
Sua mãe: Já volto, vou no carro pegar as coisinhas que comprei hoje mais cedo.
Você: ok
Levantei logo depois dela e fui na cozinha, as meninas me seguiram e nós pegamos as coisas pra comer e fomos pra sala, mamãe voltou com duas malas na cor rosa, gigantes, e cheia de sacolas penduradas nos braços, logo abri um sorriso de orelha a orelha, adoro surpresas, principalmente as da minha mãe.
Sua mãe: Como meu bebê vai viajar, não me contive e fui no shopping comprar coisas que você vai precisar, as meninas me ajudaram a escolher tudo pra você.
Olhei pra elas sorrindo, as abracei e pedi obrigada, mamãe se sentou no chão e começou a me mostrar as coisas, as duas malas eram lindas, e cabiam tudo que eu precisava ali dentro, pra falar a verdade acho que dava pra levar até uma pessoa ali dentro, das sacolas ela foi tirando varias roupas diferentes, tinha umas 6 calças jeans, pelo jeito ela comprou mais roupas de frio, estou muito agradecida por isso, porque as minhas roupas são mais fresquinhas já que o clima do Rio de janeiro costuma estar sempre quente, tinha muitos moletons lindos, de vários tipos diferentes, eu sou apaixonada por moletom, tirou umas blusas de tecido fino e de manga comprida, eu adorei tudo, ela comprou também um par de vans pra mim, e dois scapins poderosos, um pretinho

e um azul lindo que eu fiquei apaixonadissimaaa!


Eu estava experimentando tudo, estava amando tudo, eu não conseguia tirar o sorriso do rosto, mas também ficava pensativa, vou sentir tanta saudade da mamãe e das meninas, das brincadeiras bobas e das piadinhas que elas fazem, ainda estou com dúvidas em relação a ir pra lá, como eu vou viver sem essas três todos os dias ?                                                                                                                           
Mamãe pegou as ultimas sacolas e da primeira tirou um vestido azul claro perfeito, lindo, divo, apaixonante, que só faltou eu babar em cima daquele vestido, ele era simplesmente demais, fiz um O com a boca, fui logo vestir ele                                                                                                                 
Assim que voltei pra sala, vi mamãe me olhar boquiaberta, Marcos tinha acabado de chegar e ficou com a mesma expressão, ele assoviou e eu ri, as meninas bateram palmas e começaram a me elogiar  e soltar gritinhos estéricos.                                                                                                               

Hazel: Meu Deeeeeeeeeus, que delicia!!!!!                                                                                  
Mari: Quem é essa novinha gata ? Querida, seu pai é Pintor ? Porque você é uma obra de arte! 
Todos riram, inclusive eu
Você: Mari, a cantada não é bem assim.
Todos riram outra vez, fui no banheiro e tirei o vestido, quando voltei a sala, mamãe ainda estava sentada, mas estava chorando
Você: Mãe? O que houve? Porque está chorando ?
Sua mãe: Porque meu bebe cresceu, ainda não consigo acreditar que amanhã você vai ir embora para fora do país, ficar distante de mim, do seu irmão e seu pai.
Hazel: e da gente !
Você: Mamãe, para com isso, vou sempre vir visitar vocês, eu não vou desaparecer não, e você me criou muito bem, sei me cuidar, não se preocupe, vou estar bem, e vou te ligar todos os dias!
Dei um beijo em sua bochecha e limpei suas lágrimas
Sua mãe: Bom, chega de choradeira!
Marcos: Só eu não ganhei presente ?
Sua mãe: Fica quieto Marcos.
Marcos, levantou as mãos em rendição e saiu da sala
Mamãe me deu as outras sacolas, que tinham mais vestidos, os vi, elogiei, também eram lindos.
Sua mãe: Tenho uma coisa muito séria pra te dizer, é algo muito importante e algo que você tem que ter responsabilidade.
À encarei séria, e então ela tirou uma caixinha de sua bolsa, era uma caixinha de madeira, mas era forrada com um pano azul anil, aquele azul bem escuro.
Sua mãe: Bom, a tradição, sempre foi dar o colar, na festa de 15 da primeira menina, mas você não quis uma festa, então deixei pra dar mais pra frente, deixei pra dar no dia em que eu tivesse certeza que você tinha responsabilidade suficiente pra carregar com você, e você me provou isso, esse colar está na nossa família à 6 séculos, ela foi passada assim, de mãe pra filha, e vai continuar sendo, e eu confio em você pra realizar isso, sua avó me deu no dia do meu aniversário, e eu quero que você leve ele com você.
Ela abriu a caixa, o colar era simples, bem delicado e lindo, era de ouro branco e carregava uma pedra de safira no meio, eu já vi mamãe usa-lo algumas vezes, mas é raro ela usar.
Sua mãe: Só use em ocasiões especiais.
Ela deu um sorriso e me abraçou, as meninas elogiaram e começaram a falar
Mari: Bom, nós não compramos pra você um cordão com uma pedra preciosa, mas nós compramos algo pra você usar todos os dias, pra não esquecer da gente nunca.
Ela tirou uma caixinha, na cor vinho, também de madeira, mas era menor, ela a abriu e dentro tinha outro colar, era um cordão relicário, eu sempre quis um desses, era lindo e tinha a foto delas dentro 

As abracei e agradeci
Você: Eu amei, amei tudo, amei o cordão, amei as roupas, amei tudo de verdade, muito obrigada gente, vocês são tudo, vou morrer de saudades, amo vocês, venham aqui.
Abracei todas juntas, num abraço coletivo, guardei as coisas e ficamos na sala vendo filmes, comendo, rindo e brincando, papai chegou e ficou com a gente também, ele estava mais sério hoje, devia ser porque era meu ultimo dia, depois que terminamos de ver o filme, fomos pro meu quarto, então eu e as meninas adormecemos



                                                                Dia seguinte...  

                                                                   Você On

Estava nas ruas da Tijuca, e já era de madrugada, eu corria, olhando para todos os lados, porque eu sabia que estavam atras de mim, sabia que uma hora iam acabar me encontrando, mas eu não parava de correr, corria com toda a minha força e vontade, entrava em ruas aleatórias, gritava por socorro mas ninguém me ouvia, ninguém ia me salvar, dessa vez, não tinha ninguém lá, me dei conta de que estava em uma rua sem saída, corri de volta para o lugar de onde vim, quando estava chegando, um carro preto cantando pneu parou na minha frente, eram eles..

Hazel: (Seu apelido) ACORDA, ACORDAAAAAAAAAAAA.
Levantei com a respiração ofegante, e olhei para todos os lados pra ter certeza de que tudo não passava de um pesadelo e eu estava bem e segura.
Hazel: O que foi ? Continua tendo aqueles pesadelos ? (Seu nome), quero que saiba, que pode contar comigo pra tudo, mesmo distantes, vou estar aqui pra você sempre, em qualquer momento, seja forte, você consegue superar esses pesadelos constantes e eu sei que sim, você vai para uma cidade nova, lá ninguém a conhece, não precisa ter medo, estou aqui, ok ? Vai me ligar sempre que puder?
Eu só balançava a cabeça e concordava, a abracei e por fim ela disse:
Hazel: Estão todos arrumados, só falta você se arrumar e descer para tomar café, seja rápida, Marcos não vai poder ir ao aeroporto, ele tem o trabalho, e seu pai também
Você: Tudo bem, já estou indo.

Hazel saiu do quarto, então fui para o banheiro, tomei meu banho tentando não me lembrar daquele pesadelo que eu tenho constantemente, oque foi difícil, mas tentei focar na viagem, vou sentir tantas saudades.. por fim sai do box, eu não podia demorar, fui para o quarto enrolada na toalha, coloquei minhas roupas, penteei o cabelo, o deixei solto mesmo, já que ele estava molhado, passei um pouco de pó, um pouco de blush pra não ficar pálida, umas 3 camadas de rímel, e um batom na cor pêssego que eu gostava muito, me vesti super simples, estava cedo, e eu não queria ir toda papagaiada hoje, decidi usar um short mesmo, já que aqui fazia um calor imenso, mas levei meu cardigan nas mãos, porque sabia que no avião estaria frio, principalmente no desembarque em Londres, mas ok, talvez eu trocasse, como, eu não sei, mas daria um jeito, fui assim 

Fui para a cozinha e lá, todos me aguardavam na mesa, com exceção do papai e Marcos, os dois estavam de pé, vestidos para ir para o trabalho.
Seu Pai: Querida, me desculpe mais uma vez por não poder leva-la hoje, mas eles não quiseram adiar a reunião, eu te amo muito, te ligarei todos os dias, e o tempo todo estarei mandando mensagem, se cuide, tome muito cuidado, nem acredito que está indo embora.. Como você cresceu querida, eu te amo muito, não se esqueça, estou atrasado, tenho que ir.
Você: Tudo bem papai..
Ele me deu um abraço tão apertado que eu não conseguia respirar, em seguida me soltou e deu um beijo em minha testa, ele deu um selinho em mamãe, deu tchau as meninas e saiu. Em seguida, Marcos veio em minha direção.
Marcos: Todos dizem que você cresceu, eu não acho isso, continua com 1,54 desde os 14 anos
Dei uma risada e o abracei 

Marcos: Vou sentir tanta saudade de você, principalmente das suas comidas, me ligue, me mande mensagens, não esqueça de mim, amo você.
Você: Também amo você. Muito - sorrimos-
Marcos: Agora tenho que ir, tchau meninas, tchau mamãe! - e saiu pela porta-

Me sentei a mesa, ficamos conversando enquanto me esperavam terminar de comer, comi apenas uma tigela de salada de frutas, e bebi suco de laranja, pois eu não estava com fome, mas tinha certeza que depois ia ficar com muita fome, não importava, eu podia comer no aeroporto, ou sei lá, terminei de comer, fui ao banheiro, escovei meus dentes e estavamos prontas pra partir.
30 minutos depois, chegamos ao aeroporto, fui fazer o check in, faltavam 10 minutos para o voo, então uma voz feminina anunciou meu voo, olhei pra mamãe, ela já tinha entendido que agora era a hora, o último abraço, a abracei muito forte, demorei para desabraça-la ela beijou minha bochecha.
Sua mãe: Eu amo você, amo muito, não se esqueça, tome cuidado e me ligue todo dia, mande mensagens.
Você: Tudo bem mamãe, eu também te amo.
Abracei as meninas
Hazel: Não se esqueça de nós tampinha, vamos sentir muitas saudades, te amo.
Mari: Não esqueça em hipótese alguma hein! Quero saber de todas as novidades, de todos os gatos, nos ligue assim que chegar, quero detalhes de tudo, tudo mesmo, te amo sua leza.
Você: Também amo vocês, e eu já disse que não vou esquecer, agora tenho que ir.
As abracei mais uma vez e sai andando com as malas, uma mulher me ajudou a carrega-las, embarquei, e fui andando dentro do avião para achar minha poltrona, fui andando lerdamente e totalmente distraída, quando de repente eu estava no chão, tinha tropeçado em uma mala que estava no corredor e cai toda torta e com a bunda pro alto no chão, xinguei a mala e comecei a rir sozinha, um cara, me perguntou se eu queria ajuda pra levantar, percebi pela cara dele que ele estava contendo uma risada. Ele me olhou e sorriu.

xxxx: Desculpa, é minha mala, eu estou meio atrapalhado aqui, desculpa, não queria que você caisse, se machucou? - disse ele estendendo a mão pra me ajudar a levantar, senti minhas bochechas queimarem, eu devia estar na cor de um tomate, só agora pude perceber, ele era bem gato, muito gato na verdade, percebi que ele não era brasileiro, porque estava falando inglês Óbvio que não era, ele era moreno Alto bonito e sensual, tinha olhos verdes misturado com castanho, ou eram castanhos com verde, eu sei lá, só sei que eram lindos, um cabelo preto, liso e meio bagunçado e com certeza tinha um sorriso maravilhoso, tinha uma barba linda também, estava por fazer, e eu esperava não estar babando ali naquele momento, oque era difícil pra mim.
xxxx: Eerrh, hã, ta tudo bem ? 
Você: Oi. Merda, é, to sim, ta tudo bem sim - Eu só podia ter merda na cabeça, comecei falando em português e depois mudei pra inglês, ele riu mais uma vez, não sei ainda ria da minha queda ou de mim embolando a língua pra falar com ele.
xxxx: Me desculpe mais uma vez, por ter deixado a mala no caminho, hã, qual seu nome ?
Você: A sua mala não tem culpa, eu é que sou meio desastrada, então, hã vou sentar, e ahh, meu nome é (Seu nome) Ventapane, e hã, tchau. - sai andando, eu nem sei oque ele falou depois, eu só escutei umas risadinhas, eu queria sair logo dali, estava com tanta vergonha, que não sabia nem oque fazer, achei meu lugar e me sentei na minha poltrona, eu estava com sono, coloquei meus fones de ouvido, estava tocando Take You do Justin Bieber, adormeci, acordei algumas vezes, olhava pela janela e voltava a dormir.
                               
                                                      12 horas depois..

xxxx: Senhorita, acorde, nós chegamos, já pousamos, só falta a senhorita descer, está tudo bem ?
Você: Hã? Nós já chegamos? Tão rápido  -olhei a tela do celular e eram 22:00 em Londres- Ok, não foi tão rápido. - A aeromoça deu uma gargalhada-
Aeromoça: Pois é, nós chegamos.

Me levantei, e desci, logo notei que estava realmente congelando e eu estava de short, vesti meu cardigan, que não adiantaria nada com esse frio, peguei minhas malas e fui ao banheiro, coloquei a primeira calça que achei na mala e um casaco mais grosso, sai e fui pegar o táxi, dei o endereço para o motorista, que me olhou estranho, mas virou para a frente e seguiu dirigindo, fiquei observando as ruas atentamente, aquele lugar era incrível, era tão diferente, não que o Rio de janeiro fosse feio, mas lá tinha uma beleza diferentemente bonita, tinha luzes piscando para todos os lados, eu nunca tinha viajado pra Londres, a minha única viagem internacional foi para Orlando, que eu fui com a Hazel ano passado, Londres era uma cidade maravilhosa, e até agora eu só vi as ruas, mas já estou apaixonada.

Taxista: Hey, girl, we arrived.
Fiquei encarando ele por 1 minuto com cara de idiota, tentando pensar oque estava errado, então me lembrei que ele estava falando em inglês, eu ainda não me acostumei com isso, eu me esqueci disso, graças a Deus, na Cefet, o curso que eu fazia era obrigatório saber o inglês fluentemente, então respondi, olhei no taxímetro e dei 20$ pra ele, ele saiu do carro e abriu o porta-malas me ajudando a coloca-las no chão, agradeci e ele foi embora, olhei para a casa, e ela era linda, pequenininha, porém linda, eu não acredito que meus pais à compraram pra mim, ela é simplesmente incrível, será que eu estou na rua certa mesmo ? Isso deve ser algum engano, verifiquei no papel, e realmente era a mesma rua, mesmo lote e mesma casa.
Dei uns pulinhos idiotas e uns gritinhos de comemoração, olhei para os lados, mas não havia ninguém, ninguém viu minhas idiotices, ao lado da minha casa, tinha um casarão, era linda, nessa rua tinha várias mansões, fui andando em direção à MINHA casa, entenderam? MINHA, ainda não acredito.. Fucei minha bolsa até achar a chave, e enfim, achei, confesso, agora eu estava com medo, essa casa é linda mas está completamente fechada e toda escura, e eu estou sozinha, sinceramente, estou pensando seriamente em voltar para o aeroporto, destranquei, respirei fundo e girei a maçaneta, e entrei, acendi as luzes, deixei as malas logo na sala e fui andando devagar, sem movimentos bruscos, ri da minha idiotice, no andar de baixo, tinha uma sala enorme, uma copa, uma cozinha, um banheiro e uma varanda na parte de trás, subi as escadas pra ver como era, tinha duas suites, os quartos eram lindos, eu ainda não estava acreditando que era minha casa, ainda achava que tinha algo errado, como meus pais compraram essa casa só pra mim ? Tinha uma area lá em cima, bem espaçosa. Escolhi meu quarto 


O outro era diferente porém também era lindo, mas eu preferi o mais neutro



Deixei minhas coisas em meu quarto e fui pra cozinha, eu estava praticamente morrendo de fome, eu nem acredito que consegui dormir 12 horas seguidas, fui verificar, e não tinha comida, eu teria que fazer as compras amanhã, não tenho numero de pizzaria e nem nada, ou eu morro de fome, ou peço comida para os vizinhos( que é a algo que não é nem um pouco provável que eu faça) ou ir no starbucks que eu vi durante o percurso, ainda estava aberto, peguei o celular pra ver a hora e era 22:30, legal, talvez eu vá morrer de fome, mandei uma mensagem pra mamãe e as meninas avisando que tinha chegado e que estava bem, não dei detalhes de nada agora, porque estava com fome e precisava comer, coloquei o casaco de volta e sai, tranquei a porta e fui andando rápido pelas ruas, afinal eu não conhecia muito aquele lugar, mas estava tudo bem, eu compraria algo e pediria para a vigem, podia estar tardes mas tinham carros e pessoas vagando pelas ruas e tudo estava tão iluminado que eu não temi nada, fui andando mais umas quadras até que cheguei no starbucks que pra minha sorte azar, estava fechado, eu estava morrendo de fome, continuei andando a fim de achar algum restaurante ou sei lá, achei uma lanchonete aberta, com nome engraçado, pedi um hamburger  e coca- cola para a viagem, fiquei lá por uns 10 minutos, até que chamaram meu nome, peguei o pedido e voltei pra casa, andei bem mais rápido porque estava com fome, cheguei em casa, abri a porta e me sentei no sofá, fui logo abrindo o lanche, liguei a tv e fiquei assistindo The Voice e comendo, terminei de comer e continuei a ver a tv, eu não conseguia dormir Como uma pessoa espera dormir se ela dormiu durante 12 horas ? Fui ver as horas e eram 02:40 da manhã, fui ao quarto peguei um edredon e levei pra sala, fiquei mais um tempo acordada, até me lembrar que as 07:00 eu tinha que estar no novo colégio, droga, decidi dormir ali mesmo.

                                                         Continua ...
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------oooi oi gente :D não deu pra postar antes, porque viajei, depois voltei e tinha visita na minha casa, então não tive muito tempo, mas ta ai o primeiro capitulo, logo logo posto o outro, comentem, e me contem oque acharam
Bea ;*

19 de novembro de 2014

Capítulo 15 - Water and Love


~ Você On ~

Foi muito legal a atitude da Anne em se desculpar comigo. Acho que as coisas finalmente estão se ajeitando... Sinto que estou cada vez mais apaixonada por Harry e isso não é ruim, já que ele também transmite o mesmo sentimento o tempo todo.
Estava terminando de me vestir depois do banho...


Já devia ser 18 horas e acontecia uma festa no Hotel. Vesti uma roupa simples, pois não iria ficar lá muito tempo. Os meninos já estavam todos na festa e só eu ainda me arrumando. Passei uma maquiagem menos leve, porém nada exagerado e soltei meu cabelo. Por último borrifei o perfume, dei mais uma olhada rápida no espelho e fui para o salão de festas.
Não vi nenhum dos meninos ali, e estava bem cheio. Fiquei parada apenas olhando as pessoas curtirem, até que depois de um tempo vejo Justin vindo na minha direção. Respirei fundo e sorri de lábios unidos.

Justin: Olá (Seu Nome). –me abraçou-
Eu: Oi... Como vai?
Justin: Ótimo e você?
Eu: Também estou. –olhei para ele e por um instante mergulhei nos seus olhos castanhos me lembrando de quando eu os via de perto quando nos beijávamos, quando Justin dizia coisas lindas e eu acreditava-
Justin: Que coincidência, não é? –perguntou trazendo minha atenção novamente-
Eu: É... Muita coincidência. –sorri- Vai ficar aqui por quanto tempo?
Justin: Só mais dois dias. Meus próximos shows serão no Canadá.
Eu: Ah que legal.
Justin: É sempre bom te ver sabia? Você fica cada dia mais linda. –disse me olhando com firmeza-
Eu: É bom te ver também. –sorri um pouco assustada com o que ele disse. Não que ele não possa dizer, mas depois de tudo que aconteceu, era estranho ouvir um elogio dele-
Justin: Não vai beber nada?
Eu: Não, fico melhor sem bebida. –ele sorriu concordando- E você?
Justin: Ah, estou esperando a Anne, sabe como é...
Eu: Entendi... –falei balançando a cabeça positivamente e senti uma mão pegar em minha cintura, olhei para o lado e vi Harry mais sério que o normal-  

Justin balançou a cabeça em forma de cumprimento, sendo totalmente ignorado por Harry que mantinha seus olhos em mim.

Harry: Vem ficar perto de mim e dos meninos. –pediu baixo-
Eu: Estou bem aqui Harry. –respondi da mesma forma, ele olhou para Justin rapidamente, depois voltou seu olhar a mim-
Harry: Sério? Vai preferir mesmo ficar falando com ele? –revirei os olhos-
Justin: (Seu Nome), vou dar uma volta, depois a gente se fala...
Eu: Não, fica Justin. –pedi sem pensar-
Harry: Você não vai vir comigo? –perguntou alto-
Eu: Depois eu vou Harry.
Justin: Não quero arranjar problemas.
Harry: Você já arranjou há muito tempo Justin. –disse parecendo nervoso e suspirei pensando no que estava prestes a acontecer-
Justin: Cara, você ainda se dói por causa daquela história?
Harry: Vou te mostrar o que vai doer se disser mais uma palavra.
Justin: Como é que é? –os dois se encararam e peguei no braço de Harry-
Eu: Hey, dá para vocês pararem com isso?
Justin: Esse cara me estressa. –disse em um resmungo-
Eu: Beleza... Venham comigo, os dois. –andei um pouco e os dois ficaram parados, parei e olhei para trás os encarando- Venham! –falei mais alto e eles assentiram-

Saí de dentro do Hotel e eles vieram atrás de mim...


Harry: Por que trouxe a gente aqui?
Eu: Quero falar com vocês. –Justin revirou os olhos- E vocês vão me ouvir até o final. –falei olhando para ele que assentiu desanimado- Vocês não acham que já está na hora de parar com essa implicância? Quando comecei a namorar o Justin eu não tinha nem noção que você gostava de mim Harry, mas no fundo eu já sentia algo por você, mesmo que não fosse amor, mas eu sentia algo. –falei olhando para o Harry- E você Justin, os momentos que passei com você foram lindos, mas não passou de uma ilusão... -me interrompeu-
Justin: Não foi ilusão.
Eu: Não importa. O que importa agora é que os dois entendam que acabou. O que aconteceu entre mim e você é passado, e acho que você já entendeu isso melhor que o Harry. -encarei Harry por um tempo e ele abaixou a cabeça- Justin, eu não guardo mágoas do nosso passado e não me importo em continuar falando com você, ou em sermos amigos, mas algo além disso não vai acontecer... O amor acabou, pelo menos da minha parte. -Justin também abaixou a cabeça enquanto assentia balançando a mesma- E Harry, eu te amo, você sabe disso e continua com essa mania de se sentir incomodado quando falo com Justin. Entenda de uma vez por todas que o único homem que eu amo é você. -suspirei- Agora quero deixar claro que quero continuar sendo amiga do Justin, e que espero que você entenda isso Harry.
Harry: Tudo bem. –falou seco-
Eu: Então, por favor, parem de se estranhar, não há motivos para isso, o que passou, passou. Chega de viver o passado. Pode ser? É pedir demais? -o silêncio tomou conta do lugar enquanto eu esperava a resposta-
Harry: Sinto muito Justin.
Justin: Desculpa cara. –eles pegaram um na mão do outro e se abraçaram batendo nas costas-

Suspirei aliviada, eles se afastaram e ficaram calados por um tempo.

Harry: Desculpa. –falou para mim que assenti sorrindo de lábios unidos-
Justin: Bom, eu vou procurar a Anne agora... –disse saindo-

Assentimos. Harry se aproximou de mim devagar e me abraçou passando seus braços pela minha cintura. Passei meus braços envolta de seu pescoço e apoiei minha cabeça perto de seu ombro.


Eu: Te amo.
Harry: Você é linda sabia?

Beijei o braço dele e o olhei, recebendo um beijo em seguida. Enquanto me beijava, Harry me levantou um pouco tirando meus pés do chão e depois me colocou novamente no chão pegando em minha nuca e continuando o beijo carinhoso até que uma voz fez nossas bocas se separarem me deixando querendo mais. Mordi meus lábios e olhamos para a direção da voz. Louis nos olhava da porta do salão.

Eu: Vamos. –Harry me selou e fomos-
Louis: O dono do Hotel quer que a gente faça um show aqui. O Justin vai tocar primeiro e depois nós.
Harry: Tudo bem por mim.
Louis: Ok.
~ Você Off ~


~ Anne On ~

Filmei todo o show do Justin... Ele é todo perfeito em tudo que faz. Tenho certeza que vou ver todos esses vídeos dele cantando depois.


Assim que o “show” do Justin acabou, fomos para o quarto. Falei com ele que iria filmar o dos meninos também e ele assentiu dizendo que iria tomar banho. Demos um selinho, ele entrou no banheiro e fui para o salão levando a câmera. Os meninos já estavam cantando, então comecei a filmar rápido.

Fiquei cantarolando as músicas junto com eles e quase me emocionei, não sei por quê. Em um momento Harry olhou para a câmera todo fofo...


Eles são todos perfeitos também... Estou cercada de perfeição.
Sorri de meus pensamentos e olhei para o pessoedal que dançava e se divertia com o show. Vi a (Seu Nome) lá também conversando com o Zack, novo baterista do Justin. Achei estranho, mas ignorei e foquei na câmera.

~ Anne Off ~



 ~ Você On ~

Enquanto os meninos cantavam, fiquei os assistindo junto com as pessoas que estavam ali. Estava distraída olhando para Zayn fazendo um de seus solos perfeitos quando alguém diz “buh” no meu ouvido quase me matando de susto. Olhei para trás e era Zack com um sorriso de orelha a orelha.

Eu: Oi! –sorri-
Zack: Tudo bem gata? –me abraçou-
Eu: Tudo bem... E aí, curtindo o show?
Zack: Sim, acabei de tocar e resolvi curtir um pouco os meninos. Eles são bons.
Eu: É verdade. –sorri assentindo e olhei para Harry que olhou Zack de um jeito estranho-


Zack: Quer dançar?
Eu: Desculpa, mas não sou boa em dança.
Zack: Qualquer coisa, posso te ensinar. –piscou malicioso-
Eu: Ah é? Você dança bem assim? –perguntei inocente-
Zack: Fiz umas aulas à alguns anos atrás.
Eu: Sei. –sorri-
Zack: É sério. Concede-me essa honra? –gargalhei-
Eu: Não, não dá, sou ruim de verdade.
Zack: Que nada, é só se soltar.
Eu: Que insistente! –falei me fingindo irritada e ele fez uma careta fofa- Só um pouquinho, se eu pagar mico, te mato.
Zack: Até parece que nunca dançou na vida. –pegou em minha mão e começou a dançar, olhei os movimentos dele e tentava fazer algo parecido-
Eu: Sabe aquelas pessoas que só cantam no chuveiro? Poderia dizer que só danço no banheiro. –ele sorriu-
Zack: Olha só, você está indo bem... –disse olhando meu corpo-
Eu: Ok, já chega. –parei de dançar e ele apertou minha mão-
Zack: Poxa, agora que estava ficando legal... –fez cara de súplica-
Eu: Chega. –soltei a mão dele e sorri cruzando os braços e ficando parada-
Zack: Você seria perfeita dançando. –disse olhando para mim me deixando sem graça-
Eu: Não consigo nem imaginar. –sorri-
Zack: Mas eu consigo. –comecei a notar um clima estranho... Acho que ele estava me paquerando e eu precisava acabar logo com isso-
Eu: Então tá neh... –dei de ombros- Olha, vou subir para perto do palco porque Josh pode precisar de mim quando acabar.
Zack: Ah, fica mais um pouco.
Eu: Já é a última música... Depois a gente se fala.
Zack: Ok. –assentiu meio desanimado- Até.
Eu: Até. –acenei e saí de perto dele indo para trás do palco-

Respirei aliviada enquanto via os meninos de mais perto do lado do palco. Fiquei olhando para Harry enquanto ele cantava, estava prestes a babar quando passou alguém e me esbarrou, me fazendo acordar. Sorri de minha idiotice e percebi ele procurar algo entre as pessoas, pensei que talvez ele estivesse me procurando e o chamei. Ele olhou para o lado e mandei vários beijos para ele o fazendo sorrir e voltar o olhar ás pessoas...


Assim que o show deles terminou, eu já estava com muito sono e bocejava toda hora. Cada um foi para seu quarto e eu e Harry fomos para o nosso. Joguei-me na cama bocejando pela centésima vez.
Eu: Preciso dormir logo. –disse manhosa e desabotoei minha calça, tirei e joguei em qualquer canto, depois subi até o topo da cama quase rastejando-

Harry apenas sorria enquanto se despia para tomar outro banho.
Fechei meus olhos e nem o vi indo tomar banho, apaguei.

_______ ** _______

Acordei depois de mudar de posição duas vezes... Ainda estava escuro, peguei meu celular no chão, no bolso de minha calça e no relógio do visor eram 4 horas da manhã. Esfreguei os olhos e os fechei tentando dormir novamente, mas sem sucesso. Então a saída foi ficar olhando para o nada por um tempo, até me lembrar da piscina. Não estava frio, então decidi passar esse tempo acordada lá.
Levantei-me com cuidado para não acordar Harry, vesti um short de pijama, já que estava só de calcinha e saí de quarto abrindo e fechando a porta devagar.
Cheguei ao pátio da piscina. Sentei-me na beirada e coloquei os pés dentro da água. Fiquei sentada movendo minhas pernas para dentro e fora da água. Não havia ninguém ali e ainda estava escuro, mas eu não estava com medo de nada, e nem pensava em nada, só sentia uma paz com apenas o barulho da água e nada mais.
Já devia estar ali por pelo menos uns 20 minutos da mesma forma e ouvi um passo atrás de mim. Gelei por um segundo e olhei para trás rapidamente percebendo que era Harry. Suspirei aliviada, mas com o coração ainda acelerado.

Eu: Nossa Harry! Não chega calado assim... –falei colocando a mão sobre o peito e ele sorriu-
Harry: Desculpa. –se aproximou e agachou ao meu lado segurando um copo com canudo- Por que veio pra cá?
Eu: Acordei e não consegui mais dormir... –falei dando de ombros- E você?
Harry: Acordei, não vi você do meu lado e fiquei preocupado. Depois que vi que você estava aqui pelo vidro da porta, resolvi saciar minha sede. –disse levantando o copo que segurava- Quer?
Eu: O que é isso? 
Harry: Suco... De laranja. –sorri de lábios unidos e peguei da mão dele tomando um pouco e devolvi- Devia ter me acordado... Eu passaria o tempo falando com você. –sorri de lábios unidos pela fofura dele-
Eu: Acordar você em plena madrugada para passar o tempo? Claro que não. –passei a mão na bochecha dele e ele sorriu-
Harry: Não teria problema nenhum.
Eu: Mas foi bom vir aqui, respirar esse ar... –disse inspirando pelo nariz e Harry me encarou sério-
Harry: Vai entrar? –perguntou se referindo à piscina e sorri marotamente-
Eu: Só se você entrar comigo. –desafiei mordendo os lábios e Harry fez uma careta-
Harry: Ok, pode ir primeiro. –sorri e entrei na piscina de uma vez só- Caramba... –resmungou- Tenho mesmo que entrar.
Eu: Tem. –falei sorrindo e ele se levantou deixando o copo de suco na beirada e mergulhou sem nem tirar a roupa-

Fiquei sorrindo enquanto ele mergulhava, até ele subir novamente a cabeça e sacudir seu cabelo jogando para trás. Nadei até ele e peguei em sua nuca o dando um selinho.

Harry: Até que não foi tão ruim. –disse pegando em minha cintura aproximando nossos corpos-
Eu: Vem... –o puxei até a beirada da piscina onde encostei-me à parede da piscina e ele colou seu corpo com o meu pegando em meu rosto e me dando um beijo, muito bom como sempre-

Finalizamos com um selinho, sorri mordendo os lábios e nos virei o encostando à parede e ficando com o corpo perto do dele. Ele pegou o copo e voltou a tomar seu suco.
Ficamos um tempo em silêncio enquanto eu passava meu dedo indicador pelo contorno de seu peitoral por baixo da blusa molhada em seu corpo. Uma pergunta começou a latejar em minha cabeça, eu não devia perguntar, mas minha curiosidade era maior que qualquer coisa e o encarei pensando em perguntar ou não.

Harry: O que foi? –perguntou ao perceber que eu o encarava e voltou a tomar seu suco-
Eu: Nunca pensou em se casar Harry? –perguntei, assim, diretamente e Harry desceu o copo que estava em sua boca começando a tossir, parecendo ter se engasgado. O ajudei dando tapas nas costas e não resisti em segurar o riso, ele foi parando de tossir aos poucos e quando parou o encarei sorrindo- Essa pergunta te assustou tanto assim?
Harry: O quê? –perguntou meio aéreo e ainda com face assustada-
Eu: Você, nunca pensou em se casar? –ele pareceu engolir seco-
Harry: Já... Quer dizer... Na verdade não muito... Quase nunca... –ele gaguejava entre as frases-
Eu: Calma Styles, não estou te pedindo em casamento. –sorri enquanto ele permaneceu sério- Era só uma curiosidade.
Harry: Érr... –eu não conseguia parar de rir por causa do jeitinho desesperado que ele ficou- Acho muito bonita a ideia de ter uma família, um casamento, essas coisas... Mas não acho que me encaixo nesse perfil.
Eu: Por que não?
Harry: É preciso ter muita certeza do que se está fazendo... É uma entrega muito importante, por isso, quando acontecer vou fazer de tudo para ser eterno, eu preciso estar preparado... Sabe, é difícil explicar... –ele falava um pouco embolado, mas ao mesmo tempo pausado, acho que de qualquer lugar do planeta dava para ver o brilho do meu olhar ao vê-lo falar daquele jeito-
Eu: Concordo com você. –sorri ficando vermelha- Por favor, não me interprete mal, foi só uma curiosidade boba, não queria te deixar assustado.
Harry: Tudo bem... Mas e você?
Eu: Se penso em me casar? –ele balançou a cabeça positivamente- Às vezes...
Harry: Comigo? –perguntou sorrindo me deixando mais vermelha que uma pimenta-
Eu: Não, com o Niall. –falei séria e ele fez cara de bravo me fazendo rir- Bobo. Te amo sabia?
Harry: Sabia. Desde o começo. –me puxou mais pela cintura-
Eu: Mentiroso. –sorrimos- Vamos nadar mais?

Puxei-o pelas mãos e ele veio meio desanimado, mas no centro da piscina nos afundou na água me puxando para um beijo debaixo dela...



Ficamos ali o resto da madrugada nadando e aproveitando nossos momentos juntos...


~ Você Off ~

(Continua...)
-------------------------------------------------------------------------------------------------