20 de agosto de 2014

Capítulo 8 - Outra Vez?


~ Zayn On ~

Como (Seu Nome) havia dormido no apartamento dos pais dela, os meninos e eu ficamos sozinhos... Ou quase. A Mariana, amiga brasileira da (Seu Nome) estava com a gente, mas a maior parte do tempo ficava só conversando com Liam e os dois se beijavam quase toda hora, Louis já estava achando aquilo engraçado enquanto Harry, Niall, Josh e eu ficávamos quietos no nosso canto. Eram 14 horas e Harry parecia estar meio estranho, estava calado e sério demais.

Eu (Zayn): O que está pegando ein Harry?
Harry: Nada. Por quê? Parece estar pegando alguma coisa?
Eu: Não sei, você está calado.
Louis: É a falta da (Seu Nome).
Josh: Mas já? Ela só dormiu um dia no apar... –Harry interrompeu-
Harry: Só estou achando estranho ela ainda não ter chegado.
Niall: Mas ainda são 14 horas.
Louis: Eu falei... –Harry jogou uma almofada nele- Talvez ela resolva ficar mais um dia.
Eu: É...

Liam saiu da cozinha e veio em nossa direção de mãos dadas com a Mariana.

Liam: Nós vamos dar uma volta juntos.
Louis: Fiquem à vontade.
Harry: O que vão fazer?
Eu: Sexo. –falei no ouvido de Harry enquanto Niall falava algo-


Liam: Não Zayn, não é isso que vamos fazer. –eu e Harry gargalhamos- Vamos só tomar um sorvete ou algo assim.
Louis: Essas coisinhas de casais apaixonados.
Liam: Vocês são uns idiotas. –disse saindo-
Mariana: Tchau meninos! –acenou-
Nós: Tchau.

Eles saíram, Harry se esticou no sofá, fiz o mesmo e liguei a TV.

Louis: Ela não é uma graça?
Josh: Sim, ela ficou bem mais bonita.
Niall: Sempre achei que ela fosse gostar mais do Zayn do que Liam.
Eu: Também achei que (Seu Nome) se interessaria por mim, mas olha só...
Niall: (Seu Nome)... –falou olhando para o nada mordendo os lábios, Harry o encarou com cara fechada-
Louis: Harry sempre fica com as melhores.
Eu: Isso não é verdade, lembro quando peguei uma ruiva melhor que a loira que ele pegou.
Louis: Mas ele não transou com ela, sei lá, flopou. –gargalhamos-
Harry: Eu estou aqui beleza?
Niall: Na verdade, ele já estava mexido pela (Seu Nome).
Harry: Será que dá pra parar de falar dela?
Eu: Ok. –levantei as mãos em rendição-
Harry: Me dá esse controle! –pegou o controle da TV de minha mão-

Olhei para Louis que fez uma expressão de quem não estava entendendo e Harry continuou procurando um canal. Josh estava concentrado no celular e depois de um tempinho se levantou e foi para o quarto, depois voltou todo arrumado.

Josh: Estou saindo para encontrar uma garota.
Louis: Como assim encontrar uma garota?
Eu: Até o Josh namorando...
Josh: Calma gente, ainda não estou namorando. Eu a conheci ontem, ela é brasileira e é linda.
Niall: Essas brasileiras... –Harry tossiu-
Josh: Então, estou gato? –assoviei e ele gargalhou- Fui. –disse saindo-

Harry havia achado um canal onde passava um filme legal. Ficamos assistindo e Niall resolveu fazer pipoca.

~ Zayn Off ~

~ Você On ~

Estava sendo um dia super legal com os meus pais. Acordamos às 8 horas e fomos ao shopping, ajudei minha mãe a escolher várias roupas lindas e depois ajudei o papai também. Os dois me deram um vestido fofo que vi na vitrine e depois almoçamos por ali mesmo. Depois do almoço fomos à casa da Tia Laura, conversamos bastante com ela, comemos um bolo delicioso que ela havia feito e saímos outra vez... Já eram 16:22 quando decidi levá-los à academia de natação que Harry havia me levado. Entramos lá dentro, contei a eles que ali era um lugar que me ajudava a matar a saudade do Brasil e da academia de lá, mas logicamente não contei da tragédia que havia acontecido comigo ali.

Sua Mãe: Aqui é muito legal! Imaginei mesmo que você não fosse conseguir ficar sem entrar na água por muito tempo.
Eu: Não consigo mesmo mãe! E foi Harry que me mostrou essa academia, ele sabia que eu amava.
Seu Pai: As meninas da sua academia no Brasil mandaram lembranças, elas sentem muito a sua falta.
Sua Mãe: É verdade, desde que você veio, elas só ganharam 1 dos 4 campeonatos disputados.
Eu: Nossa. –fiquei um pouco triste-
Sua Mãe: Mas não fica assim querida, elas estão bem e é isso que importa.
Eu: É.
Seu Pai: Aqui fica sempre cheio assim?
Eu: Não, na verdade eu vinha mais tarde, quando já não tinha muita gente.
Seu Pai: Mas nunca aconteceu de ficarem só você e o garoto aqui néh?
Eu: O Harry pai.
Seu Pai: É, o Harry.
Eu: Já aconteceu sim.
Seu Pai: Já aconteceu o quê? –perguntou meio nervoso-
Eu: De ficarmos aqui sozinhos... Não foi isso que você perguntou?
Sua Mãe: Não seja chato (Nome do Seu Pai). Você sabe como éramos quando tínhamos essa idade.
Seu Pai: É um caso bem diferente!
Eu: Aff. –coloquei a mão na testa e minha mãe deu um tapinha nele- Então, é aqui que eu faço o que mais amo.
Sua Mãe: Que tal um cineminha agora?
Eu: Seria ótimo!

Dali fomos direto para o cinema. Assistimos à um filme de comédia, rimos muito e quando saímos de lá já eram 18:35. Fomos para uma pizzaria que havia ali perto, foi meio que uma tentação. Comemos bastante entre conversas até tarde. Como já era noite e estava muito frio quando saímos da pizzaria eles insistiram pra que eu dormisse mais uma vez no apartamento com eles e acabei aceitando. Estava sendo perfeito andar com eles por Londres, era como se eles também estivessem morando aqui comigo.
Fiquei deitada no quarto deles, na cama de casal entre os dois assistindo TV. Eles ficaram dizendo o quanto estava sendo bom passar esse tempo comigo e eu retribuía todo o carinho. A cada vez que ficava mais tarde meus olhos começavam a arder, então desejei boa noite aos dois e fui para o outro quartinho dormir.

______ ** ______

Acordei e estava fazendo bastante frio. Levantei-me devagar e fui ao banheiro fazer minha higiene, terminei e fui à cozinha onde meus pais tomavam café. Juntei-me a eles e tomei café também. Voltei ao quarto e troquei de roupa para voltar ao apartamento dos meninos...


Prendi o cabelo em uma trança de lado e despedi de meus pais dizendo que precisava voltar. Peguei meu celular e minhas coisas e saí.
Cheguei ao apartamento e encontrei apenas Liam e Niall acordados, eles estavam tomando café na cozinha. A porta do quarto onde dorme Louis e Harry estava entreaberta e vi Harry dormindo parecendo um bebê. Dei um sorriso bobo e fui para meu quarto onde Josh e Mariana dormiam. Sentei-me na cama e só então me lembrei que Harry havia me chamado para sair com ele ontem à noite, me xinguei várias vezes em pensamento... Como pude esquecer isso? Deitei-me esperando a hora passar e fiquei um tempão pensando até Mariana começar a acordar.

Mariana: Psiu! –olhei para ela- Como foi o passeio?
Eu: Foi ótimo. E como foi aqui? –conversávamos baixo para não acordar Josh-
Mariana: Perfeito. Achei que você fosse voltar ontem.
Eu: Amiga... Eu me esqueci que Harry tinha me chamado para sair e fiquei mais uma noite lá.
Mariana: Vixe... E agora?
Eu: Não sei... Tomara que ele não tenha ficado bravo. Você notou alguma coisa?
Mariana: Não, eu nem fiquei em casa direito, saí com Liam.
Eu: Vocês não aprontaram néh?
Mariana: Não, está louca? –sorrimos-
Eu: Ai, como vou falar com Harry?
Mariana: Fala a verdade, que você se esqueceu.  
Eu: Vou ao quarto dele agora.
Mariana: Vai lá, boa sorte. –sorriu-

Levantei-me depressa da cama e fui até a porta do quarto dele, mas antes de entrar Zayn saiu do quarto dele na porta da frente me assustando.

Zayn: Oi (Seu Nome).
Eu: Oi Zayn. Eu ia falar com Harry agora.
Zayn: Vá em frente.
Eu: Mas estou com medo.
Zayn: Não se preocupe, ele é meio lento quando acorda.
Eu: Sabe do que estou falando?
Zayn: Não está com medo dele te agarrar aí? –sorri-
Eu: Não Zayn, esquece.
Zayn: Ok. –levantou os braços em rendição e esfregou os olhos- Vou... Tomar café. Boa sorte aí...
Eu: Ta bom. –assenti, respirei fundo e entrei no quarto-

Louis estava roncando na cama dele e Harry dormia feito um anjinho, me ajoelhei no chão na beira da cama dele e fiquei o olhando dormir por um tempinho, depois o dei um beijo na bochecha e comecei a mexer eu seu cabelo, ele apertou os olhos e os abriu devagar me encontrando.

Eu: Oi. –sorri e acariciei seu rosto, ele sorriu de leve-
Harry: Oi. –sua voz rouca e grossa me dava vontade de mordê-lo-
Eu: Está bravo comigo?
Harry: Não. Quer dizer, só um pouco.
Eu: Eles insistiram pra que eu ficasse mais uma noite e acabei esquecendo...
Harry: Ok, como foi?
Eu: Foi muito legal. Fomos à casa da Tia Laura, ao cinema, ao shopping, em uma pizzaria... Foi muito bom. E aqui?
Harry: Bom, eu fiquei esperando você chegar.
Eu: Isso não vai mais acontecer ok? –ele assentiu balançando a cabeça positivamente- Agora me dá um beijo? –ele sorriu e me deu um selinho molhado, o dei outro e voltei a mexer em seu cabelo- Pode voltar a dormir agora.
Harry: Ta bom. –dei um beijo na bochecha dele e me levantei saindo do quarto-

Saí bem mais aliviada e fui para a sala onde fiquei conversando com os meninos. Aos poucos todos foram acordando e quando Harry apontou do corredor corri até ele o dando um selinho demorado e o desejando bom dia. Depois peguei em sua mão o levando até a cozinha. Preparei uma vitamina e um sanduíche para ele e fiquei abraçada a ele por trás enquanto ele comia. Queria muito bajulá-lo já que não estava tendo muito tempo pra ele desde que meus pais chegaram. Depois que ele tomou café, foi se deitar no sofá e fiquei arrumando a cozinha. Mariana acordou e se ofereceu para me ajudar a fazer o almoço, mas primeiro iríamos sair para comprar coisas para a salada. Avisamos aos meninos que estávamos saindo, Harry se ofereceu para nos levar, mas recusamos e fomos andando mesmo. Achamos um mercadinho próximo, compramos tudo que precisaríamos e voltamos. Fizemos o almoço que ficou pronto às 12h27min. Todos almoçaram, Mari me ajudou a arrumar tudo e depois fui separar as roupas sujas e levar à lavanderia. Enquanto as colocava na máquina Harry chegou por trás de mim, me virei olhando para ele, passei meus braços por seus ombros e o beijei...


Eu: O que você quer?
Harry: Nada... Por enquanto. –sorri- Por que está me tratando assim?
Eu: Assim como?
Harry: Me enchendo de beijinhos, me abraçando, fazendo as coisas para mim...
Eu: Deu vontade, só isso. –ele sorriu-
Harry: Só isso mesmo?
Eu: É... Por quê? Não está gostando?
Harry: Claro que estou... –beijou meu queixo-
Eu: Então vou terminar de colocar as roupas.
Harry: Ok. –soltou minha cintura e o selei-

Harry foi para a sala e ficou mexendo em seu notebook e assistindo TV com Louis. Peguei algumas roupas minhas que estavam limpas, as dobrei e coloquei no guarda roupa. Liguei meu notebook para ver algumas notícias, novidades e consultar a agenda do Josh. Depois de ver tudo, fui para a sala onde estavam Josh, Harry, Louis, Niall e Mariana. Sentei-me no sofá ao lado de Niall que passou seu braço pelo meu ombro me abraçando de lado.

Eu: Josh, você não tem malhado muito ultimamente.
Josh: Nossa, é verdade. Tenho andando tão pregado. –disse passando a mão pelo rosto-
Harry: Acho que nenhum de nós está.
Niall: Liam às vezes levanta uns pesos.
Harry: Estou precisando fazer isso...
Josh: Vamos agora então?
Harry: Claro. –Harry e Josh se levantaram indo para o quarto-
Louis: Aí (Seu Nome), o Josh está namorando?
Eu: Não sei... Ele conheceu uma garota quando saímos, ela parecia legal.
Louis: Ontem ele saiu todo arrumado, disse que ia encontrar uma garota. –Niall sorriu-
Eu: Então deve ser ela... Se estiverem namorando, eu apoio.
Mariana: Eu também. –disse enquanto arrumava as unhas-
Louis: É, eu também... Ele merece encontrar alguém.
Niall: Você parece uma mulher fofoqueira. –disse sorrindo e Louis o deu um soco no braço- Aw! –sorri-
Louis: Acho que vou correr um pouco na esteira, você vem Niall?
Niall: Ah que preguiça cara!
Mariana: Vai lá Nialler! –ele passou a mão pelo cabelo, meio desanimado-

Louis o puxou pelos braços e ele foi praticamente arrastado. Estiquei-me no sofá, já que Mariana estava no outro.

Eu: Cadê o Liam?
Mariana: Está no quarto com o Zayn.
Eu: E aí, como vocês estão?
Mariana: Ah amiga, eu tento não ficar pensando muito nele, é impossível, mas eu tento mesmo assim.
Eu: Por quê?
Mariana: Sou muito iludida, começo a pensar em nós dois casados, morando em uma casinha com dois filhos e um gatinho.
Eu: Normalmente é um cachorro.
Mariana: Você sabe que prefiro gatos. –sorri-
Eu: Mas o qual o problema nisso? Também penso nessas coisas com o Harry. –disse e dei um sorriso bobo-
Mariana: Awn, olha a carinha que você faz quando fala dele...
Eu: Ah para! –sorrimos-
Mariana: O problema é que talvez isso seja passageiro sabe...
Eu: Não, o Liam não parece ser de relacionamento passageiro.
Mariana: Mas pensa bem, ele é lindo, rico, famoso, perfeito, e eu sou só uma Directioner entre milhões... O que ele iria querer em mim pro resto da vida?
Eu: Amor, companheirismo, carinho, confiança, compreensão... E isso tudo você tem de sobra.
Mariana: Não sei, acho que com o tempo ele vai se enjoar de mim e encontrar outra garota melhor.
Eu: Eu duvido.


Mariana: Ai, não sei... Tomara que eu esteja errada.
Eu: Você está errada e para de ficar se privando de pensar nele! Aproveite e enxergue a garota maravilhosa que você é!
Mariana: Já disse que te amo?
Eu: Hoje não. –sorrimos-
Mariana: Eu te amo amiga!

Levantei-me do sofá e fui até ela a abraçando. Ficamos ali mais um tempão conversando, já eram 17h30min quando olhei no celular, então decidimos preparar um lanchinho. Fizemos torradas com presunto e mussarela e suco de laranja. Fui à academia para chamar os meninos e vi Harry suado levantando um peso...


Vê-lo daquele jeito me fez morder os lábios e pensar no que eu fiz para merecer esse homem... Logo sorri da minha safadeza espantando os pensamentos pervertidos e os chamei para comerem. Voltei à cozinha e Liam e Zayn já estavam comendo, os outros meninos foram tomar banho para depois vir comer. Logo, já estávamos todos satisfeitos... Havia ficado uma delícia. Já eram 18:30 quando fui para o quarto tomar meu banho também. Lavei o cabelo, fiquei mais tempo no chuveiro porque estava sentindo meu corpo bem cansado. Terminei, me sequei e me vesti...


Agora estava me sentindo mais leve. Pendurei a toalha e Mariana foi tomar banho também. Fui à cozinha para tomar água e Harry estava lá sozinho sentado na mesa. Fui até ele e o abracei por trás dando um beijo em sua bochecha.

Eu: O que está fazendo aqui sozinho?
Harry: Nada, eu já iria falar com você agora.
Eu: O que você ia falar?
Harry: Vamos sair hoje? –respirei fundo-
Eu: Harry, é que estou tão cansada hoje.
Harry: Poxa, já estou cansado de ouvir “deixa para a próxima”... Faz um esforcinho.
Eu: Mas é que... Estou muito cansada de verdade, eu só ia tomar um copo de água e dormir, olha só, já estou com roupa de dormir.
Harry: Se fosse para sair com seus pais você se esforçaria.
Eu: Mas com eles é diferente.
Harry: Claro, eles são mais especiais que eu néh? –disse parecendo nervoso-
Eu: Não, eu não disse isso.
Harry: Essa já deve ser a quarta vez que você me rejeita.
Eu: Não estou te rejeitando Harry, só estou cansada demais para sair hoje. Você não vai querer que eu saia com você e fique com cara de sono, vai?
Harry: Ta bom. –tirou meus braços do seu pescoço- Então quando você tiver tempo para mim, me diz ok? –se levantou-
Eu: Harry, não precisa me tratar assim. Não é de propósito, você sabe.
Harry: Não, não sei. Boa noite. –foi em direção ao quarto-
Eu: Harry... –ele nem sequer olhou para trás-

Fiquei um pouco aborrecida pela atitude dele comigo, até triste na verdade. Ver a carinha dele daquele jeito quebra meu coração, mas eu não podia sair com ele assim, com esse desânimo e cansada como estou. Tenho saído praticamente todos os dias desde que meus pais chegaram e minhas pernas doem, eu só queria dormir mais cedo essa noite e justo hoje ele me chama e me trata desse jeito. No fundo ele deve saber que não faço de propósito, que também preciso dar atenção à meus pais. Agora só espero que amanhã eu consiga conversar direito com ele, não quero vê-lo triste achando que estou o desprezando. Tomei um copo de água, fui para o quarto, fiz minha higiene, desejei boa noite a todos e fui dormir, ou pelo menos tentar... Estava um pouco mal depois disso.

(Continua...)
------------------------------------------------------------------------------------------

17 de agosto de 2014

Mini Imagine Hot com Liam Payne - How To Love


Desamparada, revoltada, enganada, despedaçada, triste, nervosa... Uma mistura de sentimentos dentro de mim enquanto andava depressa, lágrimas percorrendo todo meu rosto, era uma dor enorme. Sempre me dediquei a ele, fiz tudo o que pude para agradá-lo. Deixei minha família no Brasil para vir à Londres pensando que seria feliz e que havia encontrado o amor da minha vida. Mais uma vez era tudo ilusão. Mais uma vez eu me ferrei por seguir a droga do meu coração. Desde a adolescência sempre repeti a mim mesma que não suportaria ou perdoaria jamais uma traição, mas também nunca pensei que pudesse acontecer comigo, afinal todos os homens sempre estiveram aos meus pés, me cobrindo de elogios e oferecendo o possível e impossível em troca do meu amor. COMO FUI BURRA! Poderia ter ficado com qualquer um deles, mas entre tantos eu tive que escolher o errado, tive que escolher o que eu havia acabado de flagrar na minha cama com uma vadia pulando em cima dele. Literalmente. 
Era o fim de tudo para mim a partir daquele momento. Apesar do ódio que sentia, não conseguia negar a mim mesma que aquilo machucava, machucava e muito. Mas agora não mais. Serei uma garota fechada. Não vou sentir, não vou amar, não vou me importar. Só quero brincar e ter prazer sexual passageiro com essa imundice de homens. Eu devia mesmo é me tornar lésbica, pelo menos as mulheres não parecem tão sujas a ponto de iludirem e depois nos dilacerarem como se fôssemos um pedaço de papel qualquer. Não, eu não vou fazer isso. Porque entrar no jogo deles me parece melhor. 

Luis: LARISSA! LARISSA! VOLTE AQUI POR FAVOR, EU POSSO EXPLICAR! -ele vinha correndo atrás de mim, desesperado, como se eu significasse alguma coisa para ele- POR FAVOR! 

Eu continuava andando depressa, minhas lágrimas e a neve caindo sem parar. Eu me sentia gelada por dentro, era como se cada bolinha de neve que pingava sobre mim me construísse, o coração cada vez mais duro, minha vontade era de calá-lo para sempre. Fui parada pelo seu braço e me virei com um belo cuspe em seu rosto. Ele parou, me soltou, limpou seu rosto e olhou para mim suplicadamente. 

Eu: Não adianta dizer nada, eu não ouvir uma palavra sequer. Volte para o apartamento, pegue suas coisas, inclusive aquela vadia nojenta e por favor, desapareça da minha vida. 
Luis: Não faz assim Larissa...
Eu: NÃO pronuncie meu nome! 
Luis: Eu te amo. -foi impossível segurar, soltei uma gargalhada enquanto sentia cada vez mais ódio- Por que está rindo? Estou dizendo a verdade, foi um erro eu sei, mas já estou arrependido. 
Eu: CALA A BOCA! Você é um doente, infeliz, desgraçado! -ele me segurou colocando contra a parede-
Luis: Por favor, não me deixe. -tentou me beijar-
Eu: ME SOLTA! -tentava o empurrar, mas sem sucesso- VAI SE FUDER! -levantei meu joelho com toda a força acertando em cheio o seu membro. Ele me soltou e se curvou, gemendo de dor com a mão sobre o local- Se amanhã você ainda estiver no meu apartamento, eu juro que coloco fogo em você e todas as suas coisas! Some da minha vida! -ele caiu no chão ainda gemendo de dor, me aproximei, dei um chute em sua barriga e continuei andando- 

Dois dias depois...

Ainda fazia muito frio em Londres. Observava a neve caindo sentada na beira da janela tomando um chocolate quente. Agora eu já não sentia mais nada em relação à traição. Me apego facilmente às pessoas e quando me apego é de verdade, mas do mesmo jeito que se apegar para mim é descomplicado, desapegar é ainda mais fácil, ainda mais nas circunstancias de que aconteceu. Ontem dormi na casa da minha melhor amiga, contei tudo a ela, mas não quis escutar seus conselhos, ela só precisava me ouvir e apoiar. Não quero ninguém me dizendo que existem homens diferentes e que ainda vou encontrar alguém que me ame de verdade. Tudo não passa de idiotices ilusórias para menininhas. Depois que você cresce, percebe que a vida não é nada parecida com as perspectivas que você tem quando é uma adolescente fascinada pela beleza dos homens. Na verdade ela só existe naquela casca que enxergamos por fora. Agora já está na hora de deixar essa fraqueza de lado e curtir a vida sem me entregar sentimentalmente. É prazeroso, é bom, é melhor e não machuca. 
Terminei de tomar o chocolate, me levantei e fechei a cortina. Fui à cozinha, lavei a xícara e voltei para o quarto me jogando na cama. Olhei para o guarda-roupas aberto e vazio... Aquela era a parte que ficavam as roupas do Luis. Depois do meu aviso de dois dias atrás ele se tratou de pegar tudo que restava dele e levar para sabe-se lá onde... Não queria me importar nem um pouco, mas longo as lembranças tomavam conta de mim. Olhei para o outro lado onde havia o espelho, me olhei um pouco e resolvi... Estava precisando mesmo era de diversão e quem sabe de alguém para me distrair. Levantei-me depressa e olhei as horas no relógio de parede. Eram 21:49, abri as gavetas procurando por uma roupa, revirei, revirei, revirei até encontrar a ideal... 



Tomei banho, terminei, me sequei, enrolei a toalha pelo meu corpo e saí do banheiro. Sequei o cabelo e o prendi em um coque enquanto me vestia. Me maquiei com uma sombra escura, batom vermelho puxado para vinho, lápis, base, rímel, borrifei o perfume e estava pronta. Dei a última olhada no espelho me mandei um beijo, peguei minha bolsa de mão com dinheiro e celular, as chaves do carro e desci para a garagem. Entrei no carro, coloquei o cinto e comecei a dirigir... Ainda não tinha pensado para onde iria... Não queria um lugar muito movimentado como uma balada e nem um lugar tedioso, então optei por um barzinho com muitas bebidas e música alta. Enquanto dirigia liguei em uma rádio e estava tocando Adore You da Miley Cyrus, logo comecei a pensar em sexo, essa música tem o poder de me deixar excitada. Mudei de rádio e estava tocando uma eletrônica. Encontrei o barzinho. Estacionei próximo ao local, retoquei a maquiagem no retrovisor, desliguei o rádio e desci do carro. Haviam uns homens do lado de fora encostados em uma caminhonete com garrafas nas mãos, eles assoviaram quando passei, como resposta olhei para trás e mandei um beijo no ar que os fizeram gritar algumas coisas. Entrei no barzinho, estava bem cheio e tocando uma música animada. Algumas pessoas dançavam, outras conversavam e algumas apenas bebiam quietas ou sentadas nas mesinhas. Fui direto para o balcão. Pedi ao barman a bebida mais forte que ele tinha.

Barman: Tem certeza gatinha? Olha que você pode não aguentar. 
Eu: Absoluta. -ele assentiu e foi pegar a bebida, enquanto isso me virei para olhar o movimento-
Barman: Aqui está. -me virei para o balcão e peguei o copo com a bebida que ele havia colocado, dei uma golada de uma vez e meus olhos se lacrimejaram, minha garganta parecia queimar, percebi que o barman sorria-
Eu: Que droga de bebida é essa?
Barman: Você pediu a mais forte. -respirei fundo e dei outra golada, ainda ardia muito, mas eu queria continuar- 

Terminei o primeiro copo e pedi mais, ele sorriu colocando a bebida e bebi tudo rapidamente.

Eu: Mais.
Barman: Tem certeza?
Eu: Coloca a merda da bebida. -tirei umas notas de dentro da bolsa e bati em cima do balcão, ele pegou o dinheiro e colocou mais bebida para mim- 

Terminei o terceiro copo, já não conseguia mais ficar de pé, então me sentei no banquinho de frente para o balcão e o pedi mais um pouco, assim ele fez...

XX: Hey, não acha que está exagerando? Já é seu quarto copo.
Eu: Está contando é? -perguntei sem nem olhar para o cara que disse-
XX: Estou aqui desde que você chegou e acho melhor parar.
Eu: Quem se importa?
XX: Eu me importo! Você certamente está revoltada com alguma coisa e acha que a bebida vai te ajudar, mas na verdade fazer isso só vai piorar tudo. -pensei um pouco e olhei para ele-
Eu: Você não me conhece, não sabe nada sobre mim. 
XX: Mas estou errado?
Eu: Me deixa. -disse dando outra golada-
XX: Já fiz isso e não adiantou. 



Eu: Você já foi traído? -ele sorriu- 
XX: Todo mundo já foi traído. -balancei a cabeça negativamente-
Eu: Não. Isso não é verdade, eu fui traída porque sou uma idiota! Vai ver não fui boa o suficiente. -dei outra golada-
XX: Para com isso. 
Eu: Vocês. -apontei para ele- Vocês, homens, são uns covardes, filhos da puta! Nos iludem, nos usam e depois trocam por outra qualquer. 
XX: Vocês mulheres não se salvam disso. Digo por experiência própria. -o encarei- 
Eu: Vai me dizer que nunca traiu?
XX: Não faço com os outros algo que não gostaria que fizessem comigo, essa é minha ética.
Eu: Eu não acredito. 
XX: Segundo a sua lógica todos os homens não prestam, então como você pode achar que exista alguém que não foi traído? 
Eu: Cala a boca, não vou pensar, estou bêbada. -ele sorriu- 
XX: Se não estivesse, saberia que faz sentido. -sorri o encarando- Meu nome é Liam. -disse estendendo sua mão- 
Eu: Larissa. -peguei na mão dele- 
Liam: Está sozinha?
Eu: Claro que estou... E você?
Liam: Mais um motivo para parar de beber assim.
Eu: Responda a pergunta e mais nada. -ele sorriu-
Liam: Sim, eu estava sozinho, agora estou com você. 
Eu: Hmm... -bebi mais um pouco- E você sempre frequenta esse bar?
Liam: Não, na verdade não tenho muito tempo para isso. Resolvi fugir um pouco das obrigações... 
Eu: O que você faz?
Liam: Sou jornalista. 
Eu: Isso é legal.
Liam: É, um pouco. E você?
Eu: Trabalho na área de logística em uma empresa.
Liam: Uau. 
Eu: Dá para sobreviver... E ainda sustentar um animal.
Liam: O quê?
Eu: Nada, esquece. -ele sorriu-
Liam: Você é muito legal. E linda também.
Eu: Já sei, é assim que tudo começa... Com os elogios, depois os beijinhos, as palavras bonitas, a ilusão até o golpe final. 
Liam: Hey, calma, eu não estou começando nada. Quer dizer, eu gostaria de te conhecer melhor, quando você não estivesse bêbada.
Eu: Conhecer melhor... -sorri- 
Liam: O que foi?
Eu: Não adianta Laiam, já conheço todos os truques.
Liam: É "Liam". 
Eu: Tanto faz. -disse dando a última golada- A gente até poderia "se conhecer melhor". -disse maliciosa fazendo aspas com os dedos na frase-
Liam: Você não está bem. -disse sorrindo-
Eu: Estou ótima. Não se preocupe, não sou do tipo que vai acordar te batendo amanhã. -ele gargalhou- 
Liam: É sério, você precisa parar de beber. 
Eu: Você não vai querer perder essa oportunidade, vai? -cruzei minhas pernas levantando um pouco minha saia, ele me olhou e mordeu os lábios-
Liam: Tem pessoas que só encontramos uma vez na vida não é mesmo? Acho melhor não arriscar. -sorrimos-
Eu: Ótimo. -sorri- Ei, mais um pouco aqui. -estendi o copo-
Liam: Você não vai parar não é?
Eu: Não mesmo. 
Liam: Desencana vai, levanta, vamos dançar. -ele se levantou estendendo sua mão para mim- 

Pensei um pouco e ele parecia até legal... Mas isso pouco importava, na verdade o que importava é que ele era muito gato e parecia bem gostoso, então dei de ombros e pensei que talvez seria um bom brinquedo para hoje. Coloquei um pé no chão e me desequilibrei, ele me segurou aproximando seu corpo e me fazendo olhá-lo de perto. Nossa, ele era mais do que gato, era lindo! 

Eu: Obrigada.
Liam: Não foi nada. -sorriu- 

Segurei em sua mão e fomos para o meio das pessoas que dançavam. Era uma música lenta, romântica. Ele entrelaçou um braço em minha cintura aproximando nossos corpos, coloquei uma mão em seu ombro e com a outra nos demos as mãos começando a dançar, devagar. Fiquei olhando para trás dele e logo passaram imagens daquela cena horrível em minha mente, senti meus olhos se lacrimejarem. Respirei fundo e afastei esses pensamentos me concentrando na dança e então começa a tocar uma música animada. Liam me olhou, soltei a mão dele e comecei a dançar solta e a me animar. Ele ficava me olhando, tentando acompanhar. A música ficou mais alta e mais animada, todos estavam pulando entrando no clima, então me aproximei dele dançando sensualmente, virei de costas e peguei em suas mãos as passando pela minha barriga, depois me virei e continuei dançando olhando maliciosamente para ele passando as mãos pelos seus braços, ele sorria mordendo os lábios me olhando safadamente, até que me puxou pela cintura deixando nossos copos colados. Nos olhamos nos olhos, passei minha mão pela sua nuca e ele aproximou seu rosto do meu me beijando. Uau! Que beijo! Não dava vontade de parar, ele me segurava com força, nossas línguas eram firmes e rápidas, aquele gosto de menta da bala que ele chupava era irresistível. Paramos por falta de ar... Nos soltamos e sorri ao perceber a boca dele borrada pelo meu batom. Ele levou sua mão até minha nuca e me puxou para outro beijo, quando nos soltamos outra vez por falta de ar ficamos com os rostos próximos.

Eu: Acho que podemos ir para meu carro.
Liam: É uma ótima ideia.
Eu: Mas eu tenho uma condição. 
Liam: Que condição?
Eu: Isso vai ser só uma noite, nada de sentimentos envolvidos, nada de romantismo ou de procurar depois.
Liam: Tudo bem. -deu de ombros e eu sorri-

Chegando ao meu carro, ele me colocou contra ele me dando outro beijo, dessa vez passando suas mãos pelas minhas coxas, seu corpo estava prensado no meu, dava para sentir uma elevação em sua parte de baixo. O afastei com um braço e tirei a chave de minha bolsa.

Eu: Na minha casa ou na sua? -sorri pensando que nunca fosse dizer isso um dia-



Liam: Na minha. 
Eu: Você dirige. -o entreguei a chave-

Sorri e dei a volta entrando no carro, ele entrou também e começou a dirigir. Tirei meu cachecol e o suéter deixando no banco de trás. Ele continuava dirigindo enquanto eu o encarava... De uma coisa eu tinha certeza... Liam é muito mais bonito que Luis. Encostei minha cabeça no banco e ele parou em frente a uma casa enorme, na verdade uma mansão. O portão da casa abriu e ele entrou com o carro deixando na garagem. Desceu dando a volta e abriu a porta para mim, desci olhando em volta e ele pegou em minha mão me levando para dentro. A casa era linda. Me deparei com uma escada enorme. Liam me pegou no colo e subiu me carregando. 
Chegando ao quarto, me colocou no chão, olhei para a cama e corri até lá me jogando na mesma, tirei meus sapatos e ele sorriu me olhando e vindo por cima de mim. Nos beijamos... Como era bom aquele beijo! Comecei a tirar sua blusa e a joguei em algum canto daquele quarto, agora eu poderia confirmar... Era muito gostoso! Logo ele também se tratou de tirar minha blusa e minha saia, me deixando apenas de roupas íntimas. Comecei a desabotoar sua calça enquanto ele beijava meu pescoço, quando consegui, terminei de tirá-la empurrando com os pés. As mãos de Liam já passavam por todo meu corpo até chegar a minha intimidade. Primeiro ele passou sua mão por cima da minha calcinha, depois tirou meu sutiã e passou as mãos pelos meus seios, depois desceu novamente sua mão a colocando por dentro da calcinha e começou a mexer seus dedos me fazendo gemer baixo e enquanto isso beijava meu pescoço e minha boca. Era irresistível não soltar gemidos... Assim que ele tirou suas mãos dali, inverti as posições ficando por cima e desci sua cueca devagar me deparando com seu membro de um tamanho bem avantajado por sinal, molhei meus lábios e dei alguns beijos em sua barriga, ele fechou os olhos respirando pesado. Peguei em seu membro e comecei a fazer movimentos, ele gemia baixo... Comecei a passar a língua e o coloquei na boca... Agora ele gemia alto e apertava os lençóis. Olhei em seus olhos enquanto fazia os movimentos com a boca até ele me pedir para parar dizendo que não aguentava mais. Parei e subi devagar até ele, beijei seu pescoço e passei as mãos pelo seu peitoral e barriga, ele era todo sarado. Senti suas mãos apertarem minha bunda e as segurei contra a cama o dando um beijo bem molhado, sem medir forças, Liam me virou bruscamente ficando por cima e tirou meu sutiã sem dificuldade, encarou meus seios rapidamente e abocanhou um deles chupando com vontade e fez a mesma coisa com o outro, então começou a descer beijos e chupões até minha calcinha que ele tirou devagar e afastou minhas pernas uma da outra deixando sua cabeça entre minhas coxas, ali ele dava beijos e chupões na parte inferior de minhas coxas até subir mais um pouco e começar a beijar minha intimidade. Senti sua língua me penetrando e contorci meu corpo de prazer, ele quase me fazia ver estrelas apenas me estimulando com a língua. Peguei em seu cabelo com força enquanto gemia, ele parecia gostar de ouvir e continuava até que senti que iria chegar a meu ápice, então ele parou e subiu beijando minha barriga. O puxei pelos braços arranhando e mordendo sua boca, ele sorriu safadamente.

Eu: Vamos logo com isso Liam. 
Liam: Tudo bem. -ele se afastou um pouco de meu corpo e abriu a gaveta do seu criado mudo tirando a camisinha, abrindo e a colocando- 

Liam voltou para cima de mim e passou seu membro pela minha intimidade me levando à loucura.

Eu: Vai Liam! -falei em um gemido-

Ele me obedeceu se posicionando direito e me penetrando. Soltei um gemido alto e passei meus braços por sua nuca, ele começou os movimentos devagar, porém fortes... Meu corpo todo sentia aquele prazer. Logo comecei a morder seu ombro e arranhar suas costas, Liam começou a ir mais rápido, nossos corpos balançavam na mesma frequência... Eu já começava a suar... Estava muito bom e gemíamos cada vez mais. Liam me puxou para cima dele invertendo as posições. Comecei a rebolar devagar sobre ele o fazendo apertar minha bunda com força enquanto chupava e mordia meu pescoço. Comecei a ir mais rápido e o beijei para controlar meus gemidos. Minhas pernas já começavam a ficar fracas, mas eu não queria parar nunca, estava muito para ser interrompido. Liam segurou minha cintura me ajudando nos movimentos e logo soltou um gemido quase como um grito indicando de que havia chegado ao seu ápice. Continuei os movimentos, mas dessa vez devagar, ele respirava ofegante e nos virou outra vez. Ele saiu de dentro de mim e me pegou no colo levando para o banheiro do quarto. Liam me sentou no mármore da pia do banheiro e me penetrou ali. Apertei minhas unhas em suas costas e ele dava estocadas rápidas e fortes, não demorou muito e cheguei a meu ápice. Liam se abaixou e lambeu toda minha intimidade. 

Liam: Acho que agora podemos tomar um banho. 
Eu: Acho que sim... -disse ofegante e sorri segurando sua nuca o puxando para um beijo-

Sem interromper o beijo, Liam me carregou no colo até o chuveiro que ele abriu. Pedi que me colocasse no chão e comecei a estimular seu membro com uma mão, Liam se encostou na parede do banheiro gemendo. Puxei seu rosto e o beijei enquanto continuava o movimento com a mão até ele também levar sua mão a minha intimidade. Paramos para continuar o banho e saímos do banheiro entre beijos. 

Nos secamos, o empurrei na cama, ele caiu sentado na beirada. Me sentei em seu colo me encaixando em seu membro e e comecei a rebolar ali rapidamente. Gememos muito e chegamos ao ápice juntos nos jogando na cama exaustos.



Liam: Nossa. Como você consegue?
Eu: Essa foi sem dúvida a melhor noite da minha vida. -Liam me olhou-
Liam: Da minha também. 
Eu: Meu Deus, eu preciso dormir. 

Liam sorriu e puxou o edredom nos cobrindo. Me virei para o lado e fechei os olhos, senti sua mão passando pelo meu rosto antes de pegar no sono. 

** 

Acordei sentindo alguém me fazendo carinho no rosto...



Abri meus olhos devagar e me deparei com um rapaz estranho. Me assustei e gritei reparando que estava nua gritei mais ainda e tampei meu corpo com o edredom. 

Liam: Hey calma!

Me levantei da cama e comecei a dar socos nele enquanto ele tentava me segurar.

Eu: ME SOLTA! ONDE EU ESTOU? O QUE VOCÊ FEZ COMIGO? 
Liam: Por que você está me batendo porra? Está louca? - continuei o batendo até ele me segurar e deitar em cima de mim sobre a cama tampando minha boca- Sou eu, o Liam, que você conheceu ontem em um barzinho, você tinha bebido muito, eu te trouxe pra casa, nós... Bem, você deve imaginar... E agora você está me batendo. -arregalei meus olhos me lembrando de tudo e ele me soltou devagar- Se lembra agora?
Eu: Meu Deus! Que vergonha! -tampei meu rosto-
Liam: Caraca! E isso porque você disse que não era garota de bater no outro dia.
Eu: Eu não acredito que fiz isso. 
Liam: Sabia que não era sua cara sair com alguém assim só para sexo.
Eu: Você se aproveitou de mim! 
Liam: Eu? -ele levantou as mãos em rendição- Eu sou homem caramba, você me provocou, como eu iria recusar?
Eu: Que droga! Onde estão minhas roupas?

Ele pegou as roupas dobradas em cima do criado mudo e me entregou. Vi a situação da minha calcinha e até me assustei, eu não poderia vestir ela daquele jeito. 

Liam: Não vai se vestir?
Eu: Me empresta uma blusa sua vai. 
Liam: Tudo bem. -ele abriu o guarda roupas e tirou uma blusa jogando para mim, me vesti e me levantei esfregando os olhos- O banheiro é ali... 
Eu: Eu sei onde é o banheiro. 
Liam: Nossa, ok. 

Fui para o banheiro e molhei meu rosto. Me sentei sobre a tampa do vazo pensando no absurdo que fiz. Fiquei batendo em minha cabeça por um tempo até surgir um sorriso idiota no meu rosto. Eu tenho que confessar... Foi uma delícia. Liam é um cara lindo, gostoso, tem um beijo inesquecível e é perfeito na cama. Mas não, eu não posso cometer o mesmo erro. Foi só uma noite e não vai acontecer mais. Lavei meu rosto, penteei o cabelo com os dedos e saí do banheiro. Liam estava sentado na cama e me olhou. 

Eu: Olha, me desculpe por esse ataque louco que tive, é que...
Liam: Você nunca tinha saído com o primeiro cara que aparecesse pela frente. Eu sei disso. Você não parece mesmo ser assim.
Eu: Não era isso que eu ia dizer, mas tudo bem, interprete como quiser, você não me conhece mesmo. -ele sorriu- 
Liam: Você sempre acorda de mal humor assim? -perguntou se levantando e passando por mim- 
Eu: Não estou de mal humor. -o segui-
Liam: Uau, não quero te ver quando estiver. 
Eu: Cala a boca. -ele sorriu-

Chegamos a uma cozinha, era linda e havia dois copos de suco, dois sanduíches naturais, duas xícaras com chá e bolachas de chocolate. Molhei meus lábios, estava com muita fome. Ele se sentou a mesa e me encarou. 

Liam: Vem, senta aí. 

Fui até lá, me sentei e já dei uma mordida enorme no sanduíche, comi ele todo rapidinho, depois tomei o suco e comecei a atacar as bolachas, ele ainda estava no sanduíche e me olhava sorrindo.

Eu: O que foi?
Liam: Você ficou com muita fome. 
Eu: Não enche. -continuei comendo- Essa casa... Você mora aqui sozinho?
Liam: Sim. 
Eu: Caramba! Quantos anos você tem?
Liam: 21... E você?
Eu: Eu também. Você não comprou essa casa sozinho néh?
Liam: Meu pai faleceu no ano passado, eu já havia perdido minha mãe e como sou filho único, essa casa foi minha herança.
Eu: Seu pai era milionário?
Liam: Era, mas eu doei a maior parte do dinheiro para uma instituição de crianças com câncer. -o encarei, ele disse com tanta naturalidade e era uma atitude tão grandiosa, meus olhos pareciam brilhar enquanto eu o encarava-
Eu: Nossa. Isso é lindo. -ele sorriu me fazendo sorrir também-
Liam: Você é linda. -disse me encarando, parei um pouco olhando para ele, eu queria dizer o mesmo, mas não podia me envolver-
Eu: Érr... Acho melhor eu ir para casa... -me levantei, ele levantou também-
Liam: Não, espera. Fica mais um pouco. 
Eu: Não posso, amanhã tenho trabalho. -disse andando depressa até o quarto dele- 

Peguei minha calcinha e dobrei. Vesti minha saia, tirei a blusa dele colocando meu sutiã e minha blusa. Virei para a porta onde ele estava encostado no peitoril me olhando. 

Liam: Fica mais uma noite. -balancei a cabeça negativamente me aproximando- Então pelo menos me passa seu número. 
Eu: Liam, eu estava bêbada mas me lembro muito bem de ter dito que era só uma transa e nada mais. Foi só um prazer momentâneo. Vamos esquecer...
Liam: Tudo bem, mas não vai ter como esquecer. -abaixei minha cabeça e ele deu espaço para eu passar-

Passei e fui até a garagem. Entrei no carro, coloquei o cinto, liguei e o portão se abriu. Joguei minha calcinha no banco de trás. Nem olhei para Liam e dirigi em direção ao meu apartamento. 

Duas semanas depois...

Estava tudo indo muito bem... Fazia um tempo que eu não saía à noite. Na verdade, a última vez que saí foi com aquele rapaz que encontrei no bar... O Liam... Não sei porque, mas não consigo esquecer o nome dele e nem aquela noite maravilhosa. Às vezes me arrependo por não ter passado meu número, mas acho que assim foi melhor, afinal, agora o meu lema é pegar e não se apegar. Só não consigo mais enxergar beleza em homem nenhum. Eles nunca são bonitos ou gostosos o suficiente, pelo menos não depois que conheci Liam. 
Já que hoje ganhei uma folga no trabalho, resolvi ir assistir a um jogo de basebol. Pelo menos lá eu poderia distrair a mente e jogar o cansaço pra escanteio. 
Tomei um banho rapidinho e me vesti...



Passei apenas uma sombra clara, rímel e batom marrom. Peguei a bolsa com o celular, dinheiro e chaves. Saí de casa e entrei no carro, dirigi até o estádio.

Quando cheguei já estava cheio, pois o jogo já havia começado. Custei a encontrar um lugar onde tivesse uma visão melhor, então desisti e eme sentei em qualquer um mesmo. Um homem passou vendendo pipoca, não resisti e comprei um pacotinho. O time que eu torci acabou perdendo, mas tudo bem, foi uma boa distração. Ao final, era uma luta para sair, pois havia muita gente e eu ainda estava apertada para ir ao banheiro então tive que dar uma volta enorme. Saí do banheiro mais aliviada e quando estava saindo pela portaria olhando para o celular me esbarrei com força em alguém que quase fez meu celular cair.

Eu: Ei idiota, olha por onde anda! 
XX: Me desculpe... Larissa? -olhei para a pessoa e meu coração acelerou no mesmo instante, era Liam e ele lembrava o meu nome, e estava muito gato-
Eu: Ah... É você. -falei sem graça, por algum motivo eu estava muito envergonhada- Desculpe por xingar você. -ele sorriu-
Liam: Como vai?
Eu: Tudo ok, e você?
Liam: Melhor agora que te encontrei. 
Eu: Ah, então... Eu já estava saindo... 
Liam: Ei, espera aí, eu só ia buscar minha câmera que emprestei ao meu amigo, espera um pouquinho, eu posso te levar pra casa.
Eu: Não precisa, estou de carro. 
Liam: Então vem comigo. -me puxou pela mão-
Eu: Liam, eu... -desisti de falar já que ele estava me puxando do mesmo jeito-

Voltamos um pouco para dentro do estádio, ele soltou minha mão, pegou a câmera com o amigo e voltamos até a portaria, saímos e do lado de fora começamos a andar devagar lado a lado-

Liam: Tem saído muito?
Eu: É, bastante. -menti- E você?
Liam: Na verdade, eu voltei àquele bar umas duas vezes na esperança de te encontrar de novo. -me surpreendi, mas fingi não me importar-
Eu: Não frequento sempre os mesmos bares. 
Liam: Eu também não, mas senti sua falta. 
Eu: E sentiu falta das outras 99 garotas com quem transou?
Liam: Qual é, eu não sou assim... 
Eu: Todos são assim.
Liam: Não. Pare de generalizar tudo. -parei de andar e o encarei- O que foi?
Eu: Acho melhor eu ir embora e a gente não se falar mais ok? -comecei a andar depressa e ele veio atrás-
Liam: Hey, Larissa, espera aí, eu preciso te dizer uma coisa.
Eu: O que foi? -parei e olhei para ele-
Liam: Não consegui mais me relacionar com outras mulheres depois que conheci você. Sabe, você é diferente.
Eu: E você acha que isso quer dizer alguma coisa?
Liam: Érr... Não sei, eu... -o interrompi-
Eu: Por que eu também não. -ele sorriu sem mostrar os dentes-
Liam: Eu queria sair com você outra vez... 
Eu: Liam eu já disse que não quero me... -me interrompeu-
Liam: Sem compromisso nenhum, sem cobranças... Eu não quero outras mulheres, você não quer outros homens, nós podemos fazer isso sempre. -pensei um pouco- O que você acha?
Eu: E se eu me apegar?
Liam: Eu vou adorar. -sorrimos- 

Sabia que estava correndo perigo. Liam era super atraente... Qualquer mulher gostaria de ter essa oportunidade que estou tendo, então por que desperdiçá-la?

Eu: Ok. 
Liam: Yes! -disse comemorando me fazendo sorrir-
Eu: Quer... Conhecer meu apartamento? 

Ele nem precisou dizer nada, seu sorriso disse por si. Fui para meu carro e ele para o dele. Eu dirigia o meu na frente enquanto ele me seguia em direção ao apartamento. Estacionei o carro em frente ao prédio e desci, ele fez o mesmo, fui andando na frente e ele me seguindo. Na porta do meu apartamento parei e olhei para ele, me encostei na parede e o puxei pela blusa. Ali nos beijamos calorosamente, ele tirou uma de minhas pernas do chão me apertando minha coxa...


Quando paramos, o entreguei a chave da porta pedindo para que ele abrisse, como ela estava perto, continuamos na mesma posição enquanto ele tentava abrir rapidamente com suas mãos trêmulas, o que me fazia rir. Até que ele conseguiu e entrou me carregando. 

Liam: Quero ver você rir agora. -disse me levando para a cama-
Eu: Você foi rápido... 


Liam me deitou na cama e veio por cima de mim, seus lábios tocavam meu pescoço com calma e desejo. Me sentei para que ele pudesse tirar minha blusa, o que ele fez também com calma e logo veio beijar toda a pele descoberta... Enquanto fazia isso, tratei de tirar sua blusa também, deixando seus belíssimos peitoral e abdômen descobertos. Liam me afastou para trás me fazendo deitar outra vez e começou a descer minha saia, eu já me contorcia só de pensar no que iríamos fazer. Dessa vez ele voltou para mim começando pelos pés me dando beijos leves e foi subindo até chegar à minha barriga onde espalhou chupões, continuou subindo e com minha ajuda tirou meu sutiã. Antes de começar a chupá-los Liam me olhou não de um jeito pervertido, mas com certo carinho, aquilo me arrepiou dos pés a cabeça fazendo meu coração bater mais forte, então o puxei para um beijo, delicado, diferente dos outros, esse beijo tinha um significado, além de sexo, ali existia um sentimento de ambos. Assim que paramos sua boca desceu a meus seios, os deixando rígidos com os toques de sua boca. Logo Liam já começava a retirar minha calcinha, mas o repreendi segurando suas mãos e invertendo as posições. Olhei em seus olhos que também se focavam nos meus. Era difícil controlar, eu sempre sentia algo forte quando nossos olhos se encontravam. Me foquei em continuar, comecei a beijar seu pescoço, descendo pelo seu peitoral até a barra de sua calça que tirei logo e depois voltei à sua Boxer... Massageei seu membro coberto pela Boxer, dei algumas mordidinhas leves e a tirei, peguei em seu membro e fiz o meu melhor com a boca. Ele tentava controlar os gemidos enquanto mordia os lábios e fechava os olhos jogando a cabeça para trás. Voltei a ele fazendo a mesma trilha de beijos. Parei sobre sua barriga e tirei eu mesma minha calcinha, sua mão foi até minha intimidade, me fazendo arfar. Deitei-me a seu lado e o puxei para mim dando um beijo longo, paramos para pegar ar e Liam me encarou mais uma vez de modo carinhoso.

Liam: Você é maravilhosa.
Eu: Você também. -Liam sorriu e acariciou meu rosto- Preciso te sentir agora Liam. 

Ele se posicionou entre minhas pernas, mas antes que fizesse o que eu tanto esperava, o pedi que esperasse que eu pegasse a camisinha na bolsa. Ele assentiu, me abaixei, peguei a bolsa no chão, tirei a camisinha, a abri e o ajudei a colocá-la. Retomamos a posição e então Liam me penetrou. Gememos juntos, nossos corpos se encaixavam perfeitamente. Era incrível a sensação. Seus movimentos foram ficando mais velozes, nossos corpos se tocando faziam barulhos, mas não maiores que meus gemidos de prazer... Trocamos de posições algumas vezes até chegarmos ao nosso ápice com Liam sobre mim. Sem afastar nossos corpos Liam me beijava carinhosamente enquanto retomávamos o normal.

Liam se deitou a meu lado, me virei ficando de frente para ele, ele se virou também e ficamos nos olhando. 

Liam: Só um idiota trairia você. -não disse nada, apenas continuei o olhando- Porque você vale a pena. 
Eu: Liam... Para. -me levantei indo ao banheiro-

Fechei a porta e me olhei no espelho. Liam está mexendo comigo... E eu não posso me apaixonar, talvez já seja tarde, mas eu ainda posso esquecê-lo... Não quero mais sofrer, a cada vez que ele fala eu sinto medo, me sinto enganada, me sinto idiota. Isso não pode acontecer. Coloquei as mãos em meu rosto, tentei me controlar, molhei o rosto e saí do banheiro. Liam estava vestindo sua calça. 

Liam: Desculpa.
Eu: Tudo bem, só vista sua roupa e vai embora, por favor.

Alguns meses depois...

Continuei saindo com Liam... Quase toda semana nos encontrávamos para... Bem, não foi apenas sexo. Nós também conversávamos bastante, saíamos juntos para lugares diferentes e nos tornamos meio que uma amizade colorida, apesar de que às vezes eu o queria comigo mais do que ele poderia estar e ele ainda vivia me dizendo coisas bonitas que eu tentava sempre ignorar, mas virava as noites pensando nelas. Enfim, Liam ainda continuava sendo muito especial para mim, mas eu prefiro me enganar e pensar que nada passava de prazer entre nossos corpos.
A última vez em que havíamos nos encontrado, foi à duas semanas atrás, hoje era sexta feira e eu havia acabado de chegar do trabalho. Estava organizando alguns papéis quando alguém bateu na porta, fui atender e para minha surpresa era Liam, ele nunca esteve aqui em dias de semana.

Liam: Precisamos conversar. -estranhei, mas assenti mesmo assim-
Eu: Pode entrar... -ele entrou e logo parou me encarando- Então...
Liam: Quero falar sobre nós.
Eu: Nós?
Liam: Larissa, nós estamos saindo juntos à meses, não ficamos com outras pessoas por pura opção, gostamos um do outro, protegemos um ao outro, não tem porque continuar achando que somos apenas amigos de diversão.
Eu: Érr... Mas nós fizemos um trato.
Liam: Foda-se o trato. Eu não quero mais ter você como uma garota para sexo. Você não merece isso,  e eu gosto ou talvez até amo você.
Eu: Liam, eu não... Olha, estou ocupada agora, vamos falar sobre isso outro dia.
Liam: Para mim isso não está sendo só algumas noites de sexo, e nem pra você. Para com isso. -o encarei até me dar conta de que uma lágrima escorria pelo meu rosto-

Senti a mão de Liam puxar meu braço me fazendo ficar perto dele, ele me olhava surpreso. Abaixei minha cabeça e Liam me abraçou, forte. Fiquei parada recebendo seu abraço, apenas chorando... Eu estava sendo fraca, não conseguia esquecer aquela traição, isso sempre me dilacerava por dentro. O afastei e limpei minhas lágrimas com as mãos.

Eu: Desculpa, mas não quero mais que a gente converse, eu... -me interrompeu-
Liam: Tem medo. É isso? -olhei para ele- Como você vai viver com esse medo dentro de você? Como vai esquecer se não se permitir isso? Você é especial demais para ficar chorando por algo tão inútil. 
Eu: Inútil? Você não sabe a dor que estou sentindo!
Liam: E ela é útil para você? 
Eu: É. Pelo menos ela não vai deixar que eu me engane outra vez.
Liam: Não Larissa, ela não vai deixar que você tente outra vez.
Eu: EU NÃO QUERO TENTAR OUTRA VEZ!
Liam: Me ouça... Você não quer tentar por ter medo de passar por isso de novo, mas você pode arriscar e encontrar o amor, ou pode não arriscar e continuar sentindo o que está agora para sempre. 
Eu: Ou eu posso arriscar e me ferrar como antes!
Liam: Isso não vai acontecer!
Eu: E como você tem tanta certeza?
Liam: Porque se você me der uma chance, eu jamais vou machucá-la.
Eu: Não seja idiota Liam! O que eu tenho para te oferecer? Nada! 
Liam: Não faça isso com você mesma! 
Eu: Você devia deixar de ser jornalista e virar um pastor. 
Liam: Ok, não posso te obrigar a nada, tentei te ajudar da melhor maneira possível, mas se você mesma não se permite ser feliz, quem sou eu para fazer isso por você. -disse me olhando esperando por uma resposta, mas virei meu rosto-

Liam abaixou a cabeça com expressão triste e se virou para sair. O encarei andar até a porta e quando ele tocou a maçaneta o chamei. Poderia ser minha última chance de ser feliz, poderia ser a oportunidade de conhecer o amor verdadeiro e seria a concretização do meu desejo de estar naqueles braços para sempre. Ele me olhava com os olhos lacrimejados, esperava que eu dissesse algo, eu quase não tinha forças para fazer a voz sair, respirei fundo e andei até ele devagar, peguei em sua mão a tirando da maçaneta e a apertando. 

Eu: Eu te amo Liam. -ele sorriu-
Liam: Prometo que não vai se arrepender. 

Nos abraçamos deixando que aquele simples gesto fosse o suficiente para mostrar o quanto estávamos explodindo em sentimentos um pelo outro. 

**

Eu e Liam começamos a namorar. Ele me chamou para morar com ele, tive receio no começo, mas depois que ele me pediu em casamento tive certeza que era o certo a fazer. Vendi meu apartamento, fizemos muitas viagens juntos, aproveitamos tudo o que tínhamos a aproveitar, Liam me faz a mulher mais feliz do mundo todos os dias... Tivemos um filho lindo... 


E cuidamos dele juntos com todo o amor. Agora eu sei que Liam apareceu na minha hora mais escura e ele me trouxe a luz de voltar a viver, de aprender com as derrotas e de que sozinhos não somos nada. Encontrei o homem certo, encontrei a felicidade, encontrei o verdadeiro significado do amor, encontrei Liam Payne.